15 outubro 2005

P1b: preconceitos sem ibope [2/3]

Abaixo, um resumo da segunda parte da palestra do Dr Plausível sobre a preconceitada toda. Leia a primeira parte aqui.

« Em filmes, por exemplo, o herói não pode menosprezar gente de raças diferentes da dele e deve tratar a mulher com respeito e equanimidade. Mas qdo o mesmo herói faz careta ao receber atenções de mulher feia, burra ou chata, a cena é tratada comicamente. Enforcar negros/judeus/índios e queimar/escravizar/espancar mulheres não pode; mas dificultar a felicidade e a reprodução de gente feia/burra/chata pode, né?

« Talvez admire a alguns q o racismo e o sexismo gozem de tanta publicidade, qdo há tantos outros preconceitos mais funestos e odiosos. Mas os motivos pra tanto ibope são simples:

« (1) raça e sexo resultam em preconceitos de vista curta, ou seja, generalizações identificáveis à distância mesmo por quem não enxerga bem; o racismo e o sexismo têm assim uma longa gama de distâncias pra se divertir, enquanto q o burricismo, o feiurismo e o chaticismo (por exemplo) precisam de maior proximidade pra fazer diferença;

« (2) tanto o racismo qto o sexismo se tornaram mais evidentes só recentemente, nos útimos 300 anos, com a multiplicação das interações entre as raças e com a multiplicação das atividades compartilhadas entre homens e mulheres; ou seja, preconceito antigo é tido como "natureza humana" e preconceito 'novo' é tido como ofensa (até 300 anos atrás, a ojeriza contra raças estrangeiras não era de todo infundada).

« Hoje há campanhas enormes, amplamente diluídas em toda a mídia, contra o racismo e o sexismo. No entanto, usar a modernidade dum preconceito como justificativa pra atacá-lo é, no mínimo, uma atitude preconceituosa. É como dizer q a moda de hoje é 'melhor' q a de ontem. Todo preconceituoso, assim como todo lambe-moda, acha q tem mais discernimento q o resto dos mortais; mas quem isola um preconceito pra atacar tbm está sendo preconceituoso: existe sim o preconceitismo - a crença de q o preconceito q vc ataca é mais importante e indigno q os demais. »

continua...

2 comentários:

Neanderthal disse...

Diria que o "burrismo" é justificável enquanto "racismo" ou "sexismo" não. Vivemos numa sociedade em que a burrice e a ignorância nos assolam de maneira inenarrável. Um exemplo: as eleições. Preciso explicar?

A cor da pele de alguém não pode nos prejudicar.

Permafrost disse...

"A cor da pele de alguém não pode nos prejudicar."

Esse é um bom ponto, Neanderthal. A burrice dos outros pode nos prejudicar, portanto é natural q haja uma prevenção contra os burros. Na última parte dessa palestra (q não tenho transcrita ainda) o Dr Plausível fala da gradação de prevenção a preconceito.

Postar um comentário

consulte o doutor