01 fevereiro 2011

Desleixo monumental

Nosso epitômico doutor, ora em Brasília solucionando detalhes especializadíssimos das relações Brasil-Japão, todo dia passa horas entuchado num escritório trabalhando com aquela seriedade peculiar dele. Tadinho.

Então, muito me agrada ver q pra ele é um alívio sair ao ar livre na capital brasileira e gargagargagargagargalhar sem parar vendo todo aquele imeeEEenso monumento ä estupidez q perpetraram Juscelino Kubitschek, Lúcio Costa, Oscar Niemeyer e o resto da patota hipoplausivirótica com sua visão futurista-década-de-cinqüenta-em-país-ingênuo-e-atrasado. O Niemeyer, como escultor, foi um péssimo comunista.

Já eu, acho triste. Tanta falta de cidade, de urbanismo, tanta falta de uso, de cuidado, tanta falta de escala humana, de conhecimento sobre o humano... puts, que lugar deprê. A imbecilidade e o desleixo do projeto todo são de lascar, ainda mais pq é impossível voltar atrás, dizer "Tscupaê, gente, aquela utopia pós-guerra corbuseriana não deu certo. Descobriu-se q as pessoas são seres humanos. Vortemo pro Rio. AQUILO é q é capitar."

Mas o doutor se esbalda. Ainda mais agora q acaba de voltar duma longa estadia numa CIDADE de verdade, pô, q os cidadãos usam, permeiam, articulam, discutem, conservam, embelezam e (só pra ratificar) usam. Em Brasília, o doutor começa à rir no Eixo Monumental, gargalha num Setor Habitacional qqer, e só pára (por dó) qdo chega nalgum Setor de Invasões Ilegais. Ô figurinha pra rir, viu. Daqui à pouco, até a Polícia Federal vai querer interrogar. Mas aí é q ele não vai parar mesmo.

Olha, ele até prometeu q, se a japonesada der uma brecha, ele manda umas fotos pra ilustrar as gargalhadas.

4 comentários:

tralfamadorian disse...

Pra mim (que mora em Brasília), o pior de tudo é aquela história de ser Patrimônio Cultural da Humanidade, o que garante que a falta de vida geral da cidade ainda vai durar pelo menos alguns séculos.

Permafrost disse...

tralfa,
Ahhh... Eu havia esquecido desse lance do Pat. Cul. da Hum.

HAHAHAHAHAHAHAHAHA

Que pataquada.

The Gritty Poet disse...

"A imbecilidade e o desleixo do projeto todo são de lascar, ainda mais pq é impossível voltar atrás, dizer "Tscupaê, gente, aquela utopia pós-guerra corbuseriana não deu certo."

Amen to that.

Agora é de surprender vindo de quem não consegue nem acertar a medida visual entre a sustentação e o sustentado? Veja no link.

http://grittypoet.blogspot.com/2008/04/speaking-of-neimeyer-and-selling.html

Permafrost disse...

Gritty,
Muito interessante, o linque e o artigo todo lincado lá. De fato, aquele calombo com aquela passarela externa é uma aberração fraquíssima, e denuncia bem claramente q a período da criatividade e audácia do Oscarito terminou 30 anos atrás.

Postar um comentário

consulte o doutor