08 julho 2003

As loiras geneticamente morenas

Carlos P Motta, o mentor intelectual do Dr Plausível, sempre contribue pra engrossar a conta bancária do emérito terapeuta recomendando pacientes hipoplausibiléticos a seus cuidados. Uma de suas recomendações mais célebres é um caso de implausibilidade galopante que acomete grande parte da população brasileira: ¿Será plausível q um país com tantas morenas e mulatas de bundas maravilhosas e naturais produza tantas loiras tingidas de seios turbinados? Ou então esta: ¿Será plausível q o mesmo país q importou o conceito de 'loira burra' também importe a fórmula do xampú tingidor?

O comum dos mortais pedirá q não se confunda implausibilidade com incoerência. Diriam q os sintomas relatados indicam o segundo mal, e não o primeiro. Mas o Dr Plausível discorda dessa objeção, por motivos semânticos senão filológicos. Pra nós, usuários da língua (e não pros dicionários, diga-se de passagem), a palavra q empresta o nome a nosso emblemático cientista significa "aceitavelmente semelhante à realidade". Já "coerente" qualifica o bom nexo entre duas idéias ou fatos distintos. Seguindo esse raciocínio, dirão os críticos, brasileiro correr atrás de loira peituda em vez de correr atrás de morena bunduda é incoerente, mas não implausível.

¡Ó leviandade especulativa! O fato de morenas se mutilarem a fim de mimetizar um biotipo concorrente e assim desabonar o próprio, precisa sim duma consulta urgente com o Dr Plausível. ¿Há coisa mais "inaceitavelmente contrário à realidade" do q os resultados de toda a parafernália utilizada por mulheres e homens pra parecer aquilo q não são, desde lábios batonadamente carnudos a ombros enchimentamente largos?

¡Ó desgraça evolucionária! ¡Ó desastre genético!

12 comentários:

Belly disse...

E é mais desgraça evolucionária ainda se considerarmos que o gosto pelo peitão demonstra clara fixação na fase oral, enquanto o apego ao quadrilão significaria ao menos o ingresso na fase anal.
Tolos são aqueles que desprezam os 'roles all over the body' em detrimento de uma idéia mercadológica de se ater a um único lugar.
Um viva aos tarados lúbricos, que querem tudo ao mesmo tempo agora.

Permafrost disse...

Sei não. 'Tudo ao mesmo tempo agora' exige muito contorcionismo.

Macaco Véio disse...

Com certeza execrar a própria natureza para se travestir de cultura externa não é plausível, ainda mais à vista de que a tal aparência natural é tão atraente, inclusive aos olhos estrangeiros! Não é crível, é "incrível", opa!! Mas essa palavra não estava vazia de significado?
Cris (amigo do Motta)

Permafrost disse...

O Dr Plausível não chiaria tanto se o mimetismo humano se processasse naturalmente, como nos camaleões.

Belly disse...

Apreciaria muitíssimo ser mimética e camaleônica. Indídi.

Belly, embargos de declaração de ofício disse...

mas não para tornar-me loira, esquálida e peitoralmente turbinada, bem entendido.
queria me mimetizar de outras coisas.

Permafrost disse...

Sonha, sonha, meu menino
Ter as rédeas do destino...

Belly disse...

:o)
Sonhar não custa!

Cam Seslaf disse...

Eu sempre quis, sem-pre-quis, mimetizar a mulher invisível.

Carlos Motta disse...

A vida é Marta.

ponto disse...

como poso faser um trabalho sobre gerundismo

Permafrost disse...

Fazendo.

Postar um comentário

consulte o doutor