13 março 2016

Breve história do pós-modernismo

Sujeito Z tá indo comprar doce na padaria e no caminho vê dois estranho falando duma casa ali perto:

X: Essa casa é feita de água.
Y: Acho q foi feita com tijolos.

Entreouvindo isso, Z interpõe:

Z: Essa é uma visão ultrapassada. O empirismo do conceito realista de moradia já foi estruturalmente demolido por Fullen com a ferramenta da subjetividade multipensante de Beltring alicerçada no confrontamento anti-ficcionalista do comentário social de Sicrain, ao menos dum ponto de vista puramente racional –até porque o empirismo não abrange um embasamento teórico. Permita-me apresentar-me. Sou o multipensador Prúndio Cusparelli. Vc é?
Y: Frank Gehry.

http://tinyurl.com/jue7lrn

Um comentário:

¡Oncotô! disse...

Não só tijolo, mas também (muito) metal. Mas aê, seu dotô, não sei quanto à funcionalidade, mas a arquitetura de Gehry é-me beeem mais agradável do que o branconcretocurvilíneoconstrutivismo do Niemeyer. Questão de gosto. Ou de desgosto.

Quanto à literatura póxmudérna, não sei se o dotô conhece isto:
http://www.tresoldi.pro.br/tiago/pomo.html


Ah, essa postagem lembrou-me vagamente desta música (¡orra memória exaustiva!):
https://www.youtube.com/watch?v=fnpxQb_PazY

Postar um comentário

consulte o doutor