29 outubro 2012

Armagedããã…

¡Atenção, todos! ¡Aproxima-se o fim da natureza!


HAHAHAHAHAHAHAHAHA

Mas a NoCu tá firme e forte. HAHAHAHAHA

(N.Chomsky extendeu o sentido de 'gramática' e chegou à dizer q uma placa como essa não é gramatical, pois não faz sentido. Com seu pretenso ecologismo e seu raciocínio extinto, ¿será essa placa um exemplo de colourless green idea sleeping furiously? HAHAHAHAHAHAHAHAHAHA)

23 outubro 2012

A verdade, não o ditado

Pra bom entendedor, nem milhares de palavras bastam.

20 outubro 2012

A festa de fetos

Sesdia, o Uruguay descriminalizou o aborto de mulher prenhe há menos de 12 semanas. Até então sob a tutela duma lei de 1932 q podia penalizar a abortante com 3 à 9 meses de prisão e o aborteiro com até 2 anos, esse paiseco de 3 milhões realizava em média 30 mil abortos clandestino por ano –por meus cálculo, um aborto por ano pra cada 20 mulheres em idade reprodutiva.

No Uruguay, a principal origem do posicionamento contra-escolha é a ideologia bíblica do “não matarás” aplicada à uma incubação proto-humana no útero duma mulher. No Brasil, é a mêma coisa.

Nosso ectoplásmico doutor acha a maior graça de estudos bíblico qdo estes preterem o estudo da matemática. Crente judaico-cristão fala da infalibilidade da Bíblia, ou algo assim; mas si gosta de infalibilidade, deveria estudar é matemática. A média de preces atendida por Deus nunca passa dum máximo de 50%, mas a matemática é 100% confiável. Aliás, nem precisa estudar matemática avançada: um pouco de aritmética já resolve 99% das dúvida do mundo. Si crente contra-escolha usasse um pouco de aritmética, não perderia tempo organizando lobby, fazendo passeata, elegendo deputado, chafurdando na lama da política, &c, tudo pra tentar proibir o aborto em país democrático.

Si vc é mulher crente e almeja um futuro em q o aborto teja totalmente erradicado da face deste planeta, faça assim, ó: tenha 12 filhos. Nada mais fácil. Tenha 12 filhos e doutrine-os pra eles tbm serem contra-escolha.

Pois, pensa bem… As mulher q abortam são òbviamente à favor da escolha de abortar, não são? Tbm òbviamente, as pró-escolha devem ter em média menos filhos do q as anti-aborto. Assim, si as mulher pró-escolha tiverem em média, digamos, 1 filho e as mulher contra-escolha tiverem 12… não, peraí, põe 16 aí… Si as mulher contra-escolha tiverem cada uma 16 filhos, então, lógicamente, matemàticamente, necessàriamente, no futuro A POPULAÇÃO INTEIRA será anti-aborto. Muito mais certeiro e eficaz do q fé, lobby, passeata, dinheirama, hipocrisia e mentirança.

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

A mulher claramente foi “criada” pra ter 16 filhos, ou mais. E ¿não foi o deus hebreu q disse “crescei e multiplicai-vos“? Então, si vc é crente, obedeça. ¿Por quê não obedece? Olha q prático seria, si vc obedecesse:

Digamos q, por um tão-esperado milagre, os contra-escolha consigam convencer o planeta todo à erradicar o aborto em 2020, qdo a população global chegará aos 10 bilhões (talvez antes). Com a totalidade da população contra o aborto, com as garantia da medicina, e com cada casal tendo sua cota média natural de 16 filhos –textualmente comandada pelo Criador–, a população do planeta pode octuplicar à cada trinta anos. ¿Não seria legal? Aí em 2050, a população seria de 80 bilhões, e em 2080 seria de 640 bilhões. ¿Não seria ótimo? E olha só que bacana: si todos se converterem ao cristianismo, então antes deste século acabar serão 640 BILHÕES de cristãos trazendo à este planeta toda a paz, toda a fraternidade, todo o amor do deus hebreu pela humanidade. E aí, após a virada pro século 22, já poderão ser CINCO TRILHÕES de cristãos compartilhando este planeta, proclamando a glória do Senhor. ¿Não seria maravilhoso ver todo aquele povo irmanado numa corrente de oração por mais água? Basta cada cristão cumprir com seu dever e ter 16 filhos. Seja realista e almeje um ano 2200 em q o planeta tenha CINCO TRILHÕES de indivíduos anti-aborto, e não só o bilhãozinho duvidoso de hoje. Pois ficar tentando convencer pessoas de cabeça feita, ficar tentando ir contra a maré da pluralidade, da aceitação de q pessoas diferente de vc pensarão e agirão diferentemente de vc, de q um governo democrático tem obrigações pra *todos* e não só pros q se acham os rei da cocada preta –em suma, ficar querendo mudar o mundo na conversa– NUNCA vai dar certo.

Então, já viu, né, cara contra-escolha: tenha 16 filhos e amestre-os em vossa doutrina. Futuro sem aborto garantido.

Comece agora! NÃO HÁ OUTRO JEITO. O raciocínio das pessoa não-doutrinável é sempre mais forte do q o poder de persuasão da doutrina. E, brincadeiras ä parte, não adianta mudar a legislação, citar estudos e pesquisas sobre aborto, discursar, boicotar, explodir clínicas de aborto, fazer passeata &c. A ÚNICA estratégia q funcionaria é ter 16 filhos e fazer a cabeça deles.

Então, não se esqueça, hem, DEZESSEIS.

HAHAHAHAHAHAHAHAHA
..
....
........
................

Ah, não dá? Tadinha. ¿Por quê será?

¿Não será pelo *mesmo* motivo q outras mulher abortam?

09 outubro 2012

O prumo dos primo

Sesdia, o Dr Plausível mandou consertar uma batedeira. O técnico disse q era ràpidinho, e então nosso extrafino doutor foi esperar sentado num banco ä sombra das árvore dum parque virando a esquina. Ali próximo, um prolixo pregador de praça preparava-se pra proselitizar prescrevendo os princípio da prudência pragmática da prece, q prometem o prêmio duma profusão de preciosos privilégio à quem professar os prognóstico dos prócer e profeta. O pregador procedeu à proscrever os prazer profano com prostitutas de prexecas profunda, as preferência privada de príapos proctofílico e as prática proibida de promíscuos proxeneta predatório. Em prol de promover os próprio provento, previu a prenhe providência à quem procura o prumo dos primo; mas aos presunçoso q propositalmente pretere suas prédica, preconizou precaução, pois pressagiou prantos por prejuízos progressivo, privações propínqua, e pragas já prenunciada em prosa e provérbio, de premência presente, prestes à prorromper e predominar nos prado, nos prédio e nas praia destas província pré-apocalíptica.

O doutor só ouvindo.

O pregador disse q Deus é onipresente, q tá em todo lugar. Não só isso, mas Deus é "tudo". Aí pregou, pregou &c. Aí ele disse exatamente isto:

"Satanás coloca muitos obstáculo no caminho do cristão, pra afastá-lo de Deus."

Até o técnico, lá na outra rua, ouviu a gargalhada de nosso humanista, e achou q a batedeira já dava sinais de vida. Na praça, os passarinho responderam com uma sonora gralhada e as criança decidiram brincar no parquinho. A moça linda debruçou-se ä janela pensando q a praça gabava-se dela.

Mas ¿por quê cargas d’água será q o doutor riu?

A crendice desmemoriada funciona assim, ó:

ouve um X agradável → acredita;
ouve um Y benfazejo → acredita;
ouve um Z confortável → acredita;
ouve um anti-X digerível → acredita.

Ôpa, peraí, peraí. X não é coerente com anti-X. Não dá pra ficar colecionando idéias digerível tal como criança em supermercado: pega um doce aqui, um salgado ali, e depois come tudo junto em frente ä tv. Os crente abrem um sorriso beatífico ao ouvir algo agradável e, dias depois, abrem outro sorriso beatífico ao ouvir outralgo agradável e nem percebem qdo o algo contradiz o outralgo. Exemplos abundam.

O doutor riu pq imediatamente viu a mancada do pregador. Si um putativo deus tá em todo lugar, então ele tbm tá num putativo demônio, não tá? Pq, ¿onde tão as obra de Satanás si não num lugar em q Deus tbm tá? Então. Si, simultaneamente, o putativo deus é tudo, então ele TBM É os ato do putativo demônio. Mas não apenas isso: si o putativo deus tá em todo lugar –TODO lugar, veja bem–, então ele tá em cada elétron do universo, em cada célula de vosso corpo, em cada neurônio, em cada pensamento, em cada ação, em vossa "alma" –ele tá até nas "alma" de Hitler e Mohamed Atta. Então ¿como é q alguém pode se AFASTAR dele? ¿Como é q alguém pode se AFASTAR de algo q tá em TODO lugar?

HAHAHAHAHAHAHAHA

Pô, esses pregador querem forçar o prumo de idéias q não ficam em pé. Então. Aí inventam o Inferno &c, o lugar "onde não há Deus". E chamam a coleção de ad hocs de "teologia".

Desnecessário dizer q a gargalhada doutoral infectou o técnico, q babou de tanto rir e não conseguiu consertar a batedeira à tempo.

DOUTOR: ¿Qdo fica pronta?
TÉCNICO: Ah, prä semana.
DOUTOR: Ô, inferno.

08 outubro 2012

A graça de quem não acha

Muitos ano atrás, reconhecendo-se incapacidados pra tal, e achando q nosso exosmótico doutor fosse especialista no assunto, os Desgraçados Anônimos o contrataram pra redigir uma lista de Doze Passos na reabilitação de pessoas desprovida de senso de humor. O trágico vício de não ter humor aflige uma parcela enormìssimérrima da população mundial, mas pouquizíssimas pessoa têm a coragem necessária pra reconhecer, enfrentar e –sàbiamente– desistir de resolver o problema. A falta de senso de humor tem causas profunda na individuação e socialização do ser humano, resultando numa, digamos, desabrangência em sua inteligência. Ou seja, é quase impossível aumentar o Quociente Gargalhístico duma pessoa, mesmo q ela queira. Mas, seguindo os Doze Passo, é possível q o Desgraçado pelo menos humildemente se reconheça como indigno de gargalhar e aprenda, não sem esforço e empenho, à conter sua raivinha qdo gargalham as pessoa superiormente dotada. Ou então, havendo necessidade, não há nada contra fumar um baseado –só a lei de desgraçados bem conhecido.

OS DOZES PASSO DOS DEGRAÇADO ANÔNIMO
1. Aceitamos o fato de q temos um problema q não conseguimos compreender ou controlar.
2. Admitimos a existência e o poder duma Força Maior q permeia toda a Vida todo o tempo: a Ironia.
3. Decidimos pelo menos não atrapalhar o pleno exercício e desfrute da Força Maior.
4. Fizemos um minucioso e destemido exame de nossa incapacidade de enxergar a graça onde pessoas com senso de humor enxergam.
5. Reconhecemos q não temos nem Inteligência, nem Conhecimento, nem Desprendimento suficientes pra perceber a Ironia.
6. Admitimos q a Força Maior só é percebida plenamente qdo a Inteligência, o Conhecimento e o Desprendimento trabalham unidos pra despertar risadas em pessoas de humor superior.
7. Fizemos uma lista de assuntos, opiniões e situações q não nos fazem rir, admitindo a possibilidade de q nem sequer consigamos notar a presença duma ironia acidental ou proposital.
8. Comprometemo-nos à não nos intrometer qdo essas opinião, situação e assunto causam riso em pessoas com senso de humor –nem sequer qdo uma situação, assunto ou opinião se refere à nós mesmo, nem sequer qdo cremos estar entendendo o q se passa.
9. Listamos as pessoa cujas risada já reprovamos, e prometemos q enquanto vivermos jamais voltaremos à reprová-las por seu riso, visto q òbviamente são pessoas alguns degrau acima de nós na escala humorística.
10. Através de árduo estudo, incansável diligência e impiedosa auto-crítica, procuramos incrementar o número, a intensidade e a duração de nossas risada, embora saibamos q elevar nossa Inteligência por esses meio talvez seja um sonho quixotesco.
11. Prontificamo-nos à praticar estes princípio em todas nossas atividade
12. Tendo experimentado um despertar humorístico graças à estes Passo, procuramos transmitir esta mensagem à outros Desgraçado como nós q não sabem rir de qqer coisa, não entendem certas piada, nem sequer *enxergam* q há uma piada, e ficam enchendo o saco de quem as faz ou de quem delas ri.

04 outubro 2012

Os maior patso de todos tempo

Não sei si vcs sabem, mas o Dr Plausível acha uma grande palhaçada esse troço de voto obrigatório. Ele prefere votar nulo sempre, por princípio, em qqer eleição política –embora seu voto nulo nada tenha à ver com a obrigatoriedade do voto no Brasil. Gente q reprova o voto nulo não raciocinou direito, tal como demonstrado aqui. Basta um reprovador começar à deslindar seu tosco raciocínio, e nosso elegível humanista já começa à ter espasmos gargalhório.

Já qto ao voto obrigatório no Brasil, são duas as justificativa comumente apontada:
"lamentàvelmente, a consciência política da sociedade brasileira ainda não alcançou a maturidade necessária" (e *por isso* a sociedade é obrigada à votar –HAHAHAHAHAHA);
"é comum o eleitor utilizar seu voto como barganha ou simples diversão" (pudera, né, sua besta; si o cidadão é *obrigado* à votar, não admira q vire negócio ou diversão).

Apesar do óbvio ataque de hipoplausivirose, tem um certo raciocínio aí. Com o voto livre, muito brasileiro talvez não se interessasse por política e talvez só se abalasse à sair de casa pra votar si fosse pago. Ou seja, essa parte da constituição, além de supor q o brasileiro médio é alienado e mercenário, segue um raciocínio simplório. É estatìsticamente irrisório o efeito da percentagem de eleitores q "justificam" seu não-voto, q votam nulo ou em branco, e a de eleitores q vendem seu voto, si comparado ao efeito q tem a obrigatoriedade. Aliás, esta não impede nem q muita gente deixe de votar e "justifique", nem a venda de votos. Então, pô, né?

Tem até pacientes terminal dizendo q a obrigatoriedade é, sim, democrática, visto q o pessoar q enxertou essa excrescência na constituição foi eleito diretamente. Em sua cachola, o hipoplausibilético parafusa q si os deputado constituinte optaram diretamente pelo voto obrigatório, então seus eleitor indiretamente desejavam o voto obrigatório.

"Indiretamente desejavam." HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

Pelo mesmo raciocínio, os eleitor responsável por eleger gente brutesca e corrupta "indiretamente desejavam" a burrice, o roubo e a sem-vergonhice.

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

Resumindo, então, o assunto é gargalhável.

Mas…

Äs vez surge um ou outro dado q deixa o doutor ligeiramente encafifado. Parece q ontem um programa popular da tv brasileira elegeu o Xico Xaveco como ãã… "O MAIOR BRASILEIRO DE TODOS OS TEMPOS."

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

Sim, Xico Xaveco, aquele pilantrinha semi-funcional q certa vez usou um rolo de gaze e um truque de espelhos pra "provar" a encarnação dum "espírito" de véu e luvas. Grande alma, talvez, mas… ¿¡¿O ¿MAIOR? brasileiro de ¿TODOS? tempo?!?

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
HAHAHAHAHAHAHA
(cóf)HAHAHAHAHAHAHA

Qdo até o Saturday Night Live é parca e porcamente copiado no Brasil, recebendo o título de… ãã… Saturday Night Live, já seria um grande brasileiro algum produtor de tv q criasse uma idéia original.

Segundo os arquivo do doutor (q podem tar incompleto, claro), a idéia do programa q elegeu o Xico Xaveco se originou na Inglaterra qdo, em 2002, a BBC organizou uma votação pública q elegeu os 100 maior britânico da história. Os seis mais votado foram:
    Winston Churchill
    Isambard Brunel (construtor de ferrovias)
    Princesa Diana (sim, tem gente idiota lá tbm)
    Charles Darwin
    William Shakespeare
    Isaac Newton

Em 2005, a França elegeu:
    Charles de Gaulle
    Louis Pasteur
    Abade Pierre (humanista)
    Marie Curie
    Coluche (sim, tem gente idiota lá tbm)
    Victor Hugo

No Brasil, os três mais votado foram Xico Xaveco, Princesa Isabel e Santos Dumont. Hm. A Isabel tar na lista talvez demonstre q não tinha só idiota votando, mas pô, né?

Mas voltemos ao voto obrigatório. Numa eleição totalmente ãã… facultativa tal como essa da tv, mais de 70% dos brasileiro q se abalaram à pegar um telefone e votar elegeram um malandrinho come-quieto especialista em fazer patso lacrimejar dentro dum barril. E é esse o motivo do cóf no meio da gargalhada plausível; pois ¿será q, num país tal como o Brasil –tão longe da Grécia e tão perto da selva– a obrigatoriedade do voto ajude à garantir a educação política e a equanimidade do povo brasileiro?

Hm.

Hmmmm....

Naaaaah. Não. É espiritismo demais.