13 setembro 2012

As beata e as errata

O globe-trotter e mentor intelectual Carlos P. Motta tá de volta ao Brasil, e ora perambula em andanças pelo agradável nordeste brasileiro. Sesdia, tava lá olhando pruma tv num canto ligada na Rede Grobo, qdo, sem aviso ou guizo, ela exibiu pra nossa consideração um destrambélico anúncio institucional desses q ela produz toda hora –um jingolzinho genérico dizendo algo como "vc e a Grobo tão juntos neste barco e si vc mudar de canal, tou de mal". O experiente globe-trotter caiu na gargalhada, lógico, e vc logo já entenderá por quê.

Antes, lembremos Ari Toledo:



Com as beata em mente, veja o reclame da Grobo:



O reclame parece ter sido produzido pelo mesmo método: alguém fez a letra, outralguém fez a música, maisoutralguém fez a animação e aindoutralguém juntou tudo. O resultado é uma baderna confusa de mensagens contraditória. Mostrei à nosso epifrástico doutor e este gargalhou ainda mais q seu mentor, se possível.

Começa q, pô, diz q é homenagem à vários artista pernambucano, mas o jingol tem um ritmo totalmente pasteurizado, genérico e… e… impernambucano. ¿Como é q isso é uma homenagem, meu padim? "Homenagem" é a última consideração nesse reclame. A Grobo, tal como qqer outra emissora, só tem duas prioridades: anúncio e auto-promoção. Ela acordou uma manhã e pensou, "Hm… Acho q vou homenagear alguns famoso por aí pra promover à mim mesma."

HAHAHAHAHAHAHAHA

E aí tem os detalhe, né, q este não seria o DrPlausível se não enxergasse os detalhe. Siga com a letra:

é a riqueza q tem
    (em frente à um pobre casebre num terreiro seco)
é a história tbm
    (em frente à um mercado de camelôs vendendo artesanato barato e quinquilharias Made in China)
é a força duma cultura
    (cantado com uma *fortíssima* voz de enfisema, empunhando um violão de música folk euaense –note as tarracha)
Pernambuco no coração
    (figurativamente cantado por Alceu Valença –q, lastimo dizer, tem sérios problema cardíaco)
é o sotaque da gente
    (do mirante no lindo centro histórico de Olinda, avistando o horrendo horizonte predial de Recife)
é notícia presente
    (ao fundo, um casebre num sítio histórico –*tudo* à ver com "notícia presente")
é o jeito de a gente ser feliz
    (na sombra)
estamos sempre juntos
    (Naná Vasconcelos deve passar mais tempo fora do Brasil do q dentro)
cantando o coração do Nordeste
    ("cantando" justamente qdo surgem o trompete e o saxofone *tocando*)
é a grande mistura
    (numa sacada colonial igualzinha ä de qqer outro lugar do Brasil)
é antena e raiz
    (?!?) (e a antena só aparece na próxima cena)
é o jeito de a gente ser feliz
    (o jeito de ser feliz é pondo *grades de segurança* nas janela)
estamos sempre juntos
cantando o coração do Nordeste

    (novamente "cantando" e o sax *tocando*)
estamos sempre juntos
vc e a Rede Grobo Nordeste
Pernambuco no coração.

    (expressivamente abrindo os braço, o peito… êpa!)

Pô, prestenção, ô. HAHAHAHAHAHAHAHA

¿Pernambuco merecia esse despautério? O reclame pode se desculpar alegando ter sofrido de pouco investimento e falta de tempo, mas não há como não rir do grobeiro q o aprovou. Sorry.

Aliás, ¿como é q homenagear artistas consiste em imitar suas voz dublando bonequinhos caricato? Acho q vc já deve desconfiar por quê a Rede Grobo preferiu isso à homenageá-los com um polpudo cachê e participação em carne e osso, não? É pq caricatura, desenho ou outra forma de arte representando uma pessoa não pode legalmente ser associada à essa pessoa si não legendar e dizer q se trata realmente duma representação da pessoa; si vc publicar uma caricatura dalgum fulano famoso dando a bunda e aceitando suborno, o fulano não tem como te processar por danos moral &c pq não há como provar q a caricatura pretendeu mesmo representá-lo. Daí q a Grobo diz "homenagem" mas não diz à quem. Na verdade, ela tá é *usando* esses artista sem permissão ou remuneração.

HAHAHAHAHAHAHAHA

Mas ¿qual deles teria peito de reclamar, principalmente qdo suas carreira foram ajudada pela própria Grobo –règiamente jabada, claro?

HAHAHAHAHAHAHAHA

Não tem fim, a gargalhança do mundo.

6 comentários:

MI disse...

Pô, eu só tinha alertado o Dr sobre as grades na janela. O cara é picuinhento, mesmo! Ôxi, tá lascado!

Permafrost disse...

HAHAHAHAHAHA
¿Já incorporou o linguajar?

Então. Acho q, sendo esse reclame tão fraquinho, os problema dele são percebido subliminarmente e causam um desconforto geral. Precisei assistir várias vez pra enxergar tudo q me incomodava nele. O único defeito q não enxerguei vendo e precisei pesquisar foi sobre o Alceu Valença (e esse foi um exagero, admito). Pra mim, o pior foi o trecho "é a força duma cultura".

Camelo disse...

Já faz algum tempo que escutei no rádio um jingle com a voz e o estilo musical do Gilberto Gil anunciando um sabonete bem fuleiro, e pensei: poxa, os caras devem ter investido uma nota preta para contratar o Gil. E logo percebi o óbvio: claro, é uma imitação.
Desde então, já escutei vários jingles-imitações produzidos por pequenas empresas que anunciam nas rádios. E é até (como posso dizer?) ... compreensível, pois quem não tem grana se vira como pode.
Mas, esse da Globo ganhou de todos: utilizou de graça o prestígio de 10 artistas para promover a empresa e, ainda por cima, chamou de "homenagem aos artistas". Genial!!!

MI disse...

Pior que o trecho da força é cantado pelo boneco Lenine, que muito me agrada como COMPOSITOR. Quanto ao linguajar, jamais incorporarei. Na verdade já estou, como de costume, detestando o Recife.

Neanderthal disse...

Achei interessante o boneco do Naná Vasconcelos tocando um tímpano no meio do cenário agreste. Talvez ele estivesse treinando pra fazer um solo à la John Bonham.

Permafrost disse...

O boneco-Naná foi bem típico povão brazuca: chega à um cenário bucólico de paz e tranqüilidade… e já começa à ribombar no tímpano.

Postar um comentário

consulte o doutor