05 maio 2012

informêixão super-ráiuei

Si o Estado é responsável pelo policiamento e prevenção de criminalidade nas rua e estrada, ¿por quê tbm não é responsável por bàsicamente a mesma coisa na internêta?

17 comentários:

Pracimademoá disse...

Mas é, ué. Vai lá e raqueia um banco pra ver o que acontece.

Ou entra no Orkut e convida uma menina de 12 anos para alguns momentos de idílio.

Onde o perspéctico doutor pretende chegar?

Permafrost disse...

Demoá,
O doutor tá encafifado por quê a *prevenção* da criminalidade internética não é responsabilidade do estado, pago com impostos &c. ¿Por quê cada usuário tem q pagar individualmente –e diferencialmente, claro– pela proteção contra vírus, raqueiros, &c? O policiamento nas rua protege à todos: ricos e pobres, indivíduos e empresas. Mas na internêta, quem paga mais tem mais proteção. No mundo físico, gente muito poderosa anda vigiado por guarda-costas; mas dada a quantidade de ataques diário à todos na rede, não é muito admirável q o Estado diga "cada um com seu guarda-costa particular; se vira".

Pracimademoá disse...

Mas o que exatamente você sugere que o governo faça?

Porque, veja bem, você tem ideia da VASTIDÃO do que parece estar propondo?

http://drplausivel.blogspot.com.br/2006/11/azarado.html

E COMO ASSIM, "quem paga mais tem mais proteção"? Linux é muito mais seguro que Windows, e é grátis. Inteiramente grátis. Não só o sistema é grátis. O Ubuntu, por exemplo, tem mais de 30 mil programas. Tudo grátis.

Mas as pessoas querem usar Windows, e a culpa é do governo??? Rápido, alguém vai lá e chama a Berta Loran!

Análises recentes especulam que o sistema da Apple tem 10 anos de atraso em segurança em comparação com o Windows. Ser igual ao Windows já não seria muito bom, imagine estar 10 anos atrás. Agora imagine se algum lambe-saco do Steve Jobs vai deixar de usar.

A culpa é do governo???

Em tudo, as pessoas não cobram qualidade. Se fodem, reclamam, mas continuam comprando e usando. E muito. As empresas não param de crescer. Que incentivo as empresas têm para melhorar?

E a culpa é do governo???

Mas quiqui o governo pode fazer contra vírus de computador? Botar o BOPE na Internet? Distribuir vacina pelo SUS? Chamar o Chapolim Colorado?

Explique, por obséquio.

Rafs disse...

Perma,

Concordo com o Demoá. A coisa é vasta DEMAIS. Essa proteção governamental é quase impossível. E mesmo que alguém achasse um jeito, não ia durar. Certos hackers vivem em função disso: encontrar brechas, break or bend rules. Tecnicamente falando, sempre tem um jeito. Na vida real, nem sempre.

A sua analogia não serve nesse caso por isso. Apesar de existirem semelhanças, as regras virtuais são muito distintas das do mundo real. A gente tende a fazer essa comparação pq... bem... é o que a gente sempre faz: compara tudo com a NOSSA realidade. Antroporfomiza tudo que pode. E o que "não pode" também.

Permafrost disse...

Demoá,
O doutor não tá botando a culpa no governo, em nenhum governo do mundo; só fez uma pergunta. A vastidão da coisa é realmente um fator importante; mas é uma vastidão q durou apenas 30 anos pra se formar, e não é muito estável.

A pergunta tem uma analogia inexplícita com o policiamento de ruas, q é a seguinte: a história da vigilância policial começou nas cidade de grande porte, ou em eventos especial. Gente rica tinha milícias privada. Nas cidade menor, as coisa se organizavam informalmente. Dá pra imaginar a trajetória q desembocou em nossa noção de polícia formalizada, uniformizada, como uma instituição nacional de vigilância, prevenção, proteção, repressão, e troca de informações. Se, no ano 1000, alguém tivesse proposto o policiamento como instituição de âmbito nacional ou semi-nacional, uma reação lógica e inteligente teria sido análoga ä tua.

Aliás, muito bem lembrado, aquele texto sobre a vastidão. A resposta ä pergunta deve incluir a questão da identidade. O policiamento como instituição nacional inclue a identificação de todo indivíduo. Hoje, nesse aspecto, todo país é totalitário. Mas mesmo no mais totalitário possível, o trânsito pelas rua é livre; vc só precisa se identificar ao ser abordado pela polícia (q, nalguns país, precisa antes justificar a abordagem), ao entrar em edifícios importante, ou ao comprar à crédito. Numa democracia, o Estado não tem direito à monitorar todo movimento teu; e se há monitoração, tem q ser documentada. De qqer forma, o custo disso seria estratosférico.

É óbvio q são duas esfera muito diferente uma da outra. O custo de monitorar a internet é comparativamente baixíssimo; ao contrário do q acontece numa rua, todo usuário da informêixão super-ráiuei é cego –portanto, não há o inter-monitoramento natural e espontâneo das rua; a gente usa a rua pra atividades pública e a internet pra atividades privada. Tem um monte de inanalogias entre as duas esfera. Mas a pergunta continua em pé: se a qualidade da segurança do usuário individual é determinada pelo preço q pode pagar, então não há segurança nenhuma pra ninguém, pq sempre alguém pode pagar mais pra invalidar tua segurança.

E ao escrever essa última frase, eu mesmo me disse: "Êi, acorda, bem-vindo ao mundo real."

Êitcha.

Pracimademoá disse...

Bem, tudo isso aí que você disse agora deveria estar já no artigo, não nos comentários.

Enfim, continua sem resposta:

1) COMO o governo haveria de prover essa proteção que supostamente deveria prover? Já entendi a queixa. Qual é a proposta?

2) Por que "quem paga mais tem mais proteção" na Internet? Anti-virus, atualizações e software mais seguro (e.g. Linux) são acessíveis para todos. Ainda não entendi essa parte.

Rafs disse...

Perma,

Quando percebo que a frase "Êi, acorda, bem-vindo ao mundo real." serve como resposta pra fala de alguém sei que esse alguém tá frustrado. Faz parte do jogo.

demoá,

2) Vc tá pensando muito pontualmente; o indivído em casa usando seu computador e acessando sites de outrem. Tem bem mais que isso. Dando um exemplo: os sites do banco do Brasil, do governo federal, do FBI, etc, estão muito mais bem protegidos que, por exemplo, o blog do Dr Plausível. E isso porque eles tão investindo dinheiro pra que terceiros trabalhem ativamente pra manter essa segurança. Dinheiro esse que o Dr e milhões de outras pessoas não tem.

Pracimademoá disse...

Rafs,

Bem, você mudou o foco de computadores pessoais para servidores.

OK.

Eu tenho e administro dois servidores. Sei que cadeados estou usando, sei que são bastante seguros. Aprender a segurança me custou tempo, mas não custou dinheiro além do que pago para ter acesso à Internet. A hospedagem é barata.

Sites de governo e FBI não são tão seguros assim. Volta e meia são atacados por hackers, e sucumbem.

Será que os meus sites resistiriam a um ataque do Anonymous? Talvez não, mas os sites endinheirados de que você fala também não resistem. Então empatou.

Eu penso bem o contrário de vocês: acho que a Internet democratiza, a Internet nivela. Eu não preciso de muito dinheiro nem diploma de faculdade para comandar meus sites com segurança, e um blogueiro pode chamar mais atenção que a Rede Globo. A Internet tirou da grande mídia a exclusividade do longo alcance da expressão.

Neanderthal disse...

Nada que está na mão do Estado funciona (com algumas poucas exceções). Portanto, a proposta de que o Estado deveria cuidar da segurança da internet é falha porque significaria mais uma via pela qual milhões seriam desviados do bolso do contribuinte com zero vantagens para o mesmo.

Permafrost disse...

Demoá,
Não sei o q é possível. Tou falando à partir dum certo princípio aprendido com, e em analogia à, o advento da instituição policial. Neste momento da história, talvez não faça muito sentido; mas a coisa anda.

Derthal,
Não é verdade q nada q tá na mão do Estado funciona. Dentre as coisa q funcionam (com limitações, claro) é a segurança pública; em grande parte pq o esforço pela segurança pública deriva diretamente da moralidade e da ética, e do desejo comum de manter o bem-estar –princípios q, pra ser BEM generoso, não tão, digamos, entre as prioridade da iniciativa privada. Pruma empresa, toda ação deriva de calcular "qual o menor número possível de trabalhadores pra enfiar aqui o maior número possível de clientes". Além disso, é muito fácil comprar hoje uma estrada q o Estado, com o dinheiro de impostos pago pelo povão, passou décadas e äs vezes séculos projetando, construindo, mantendo e desenvolvendo. Grande parte do q a internet é hoje só é possível graças aos imposto pago pelo povão de ontem, e portanto, o Estado claramente "funcionou".

Neanderthal disse...

Já fui assaltado. Já fui sequestrado. Tenho amigos que tiveram suas casas invadidas e suas famílias espancadas. Conheci pessoas que foram baleadas em assaltos, algumas morreram. A segurança pública funciona? Acho que não.

Estradas que funcionam, infelizmente, são aquelas nas mãos das concessionárias que cobram pedágios caros, como a marginal da Castelo.

Se estivesse na mão do estado, a internet também não funcionaria. O dinheiro pago nos impostos seria desviado.

Tente um pouco mais forte.

Permafrost disse...

Derthal,
Ué, shit happens. Si fosse privatizada, a segurança nas rua não seria muito diferente e criaria novos problema. A questão é qto cada cidadão paga por sua segurança. Cada um paga proporcionalmente à seus rendimento (ou à seu iptu; não sei de onde vem o dinheiro pra pagar as polícia), mas a segurança é essencialmente a mesma prä população toda.

O q tá acontecendo no momento é q os carro q pagam mais pedágio tão rodando na mesma estrada mas numa faixa melhor do q os q pagam menos, portanto têm mais acidentes, mas danos &c.

Rafs disse...

Derthal,

Pelo que vc falou, pra gente poder dizer que segurança estatal funciona ninguém poderia ser assaltado, sequestrado, assassinado, etc. Impossível.

Sempre que alguém reclama da falta de segurança por causa de assalto, esturpo sequestro, homicídio, etc é alguém se recusando a encarar a realidade (não a toa, já que isso tudo deixa qualquer um puto). Porque, pensa bem, o que pode ser feito? A polícia vai adivinhar que alguém vai matar outro alguém, então prender o "assassino" por antecipação, ao melhor estilo Minority Report?

Neanderthal disse...

O que estou dizendo não é que a segurança não funciona. Estou dizendo que não funciona na mão do Estado. Ou seja, quem quer segurança contrata e paga do seu próprio bolso - só aí funciona. E ponto final.

arbo disse...

ô derthal, essa coisa de segurança privada. quantas balas tu tem? o cara ali do lado diz q tem um canhão, duas baionetas e um estilingue. espero q esteja preparado.
[?]

Neanderthal disse...

arbo,

Pra falar a verdade, não entendo muito de segurança, mas sei que se você quer proteção contra assaltos, sequestros, furtos etc.. é melhor não contar com a polícia. Do ponto de vista da prevenção, você precisa contratar uma empresa de segurança, uma empresa de alarmes residenciais, instalar câmeras de segurança com infravermelho, instalar um dispositivo de rastreamento do veículo por GPS etc. etc. etc.. Ou seja, SE VIRA.

Mydearnineleven disse...

Usem o laptop ou PC da patrôa, da filha ou do irmão para NSTW. O seu fica só para coisas 100% seguras, como bater um joguinho offline ou uma navegação vovó style. Resolvido.

Postar um comentário

consulte o doutor