21 novembro 2011

Xaviecando a lei

Olha, vou dizer uma coisa pra vcs, viu: ¡não tem fim, a variedade do mundo!

Sesdia, nosso espirituoso doutor foi consultar um advogado dos mais respeit-oso/ado/ável do Brasil e, conversa vai taxímetro vem, o jurista olhou de soslaio e mencionou de passagem a Associação Jurídica Espírita do Brasil.

Hm.

A epiglote doutoral começou à tremelicar. Voltando à seu consultório, ele achou isto:

http://jusvi.com/artigos/45003

A AJE-Br promove seminários, palestras, congressos &c buscando quórum lobista pra legalizar e regulamentar… ãã… (tou até com dificuldade pra escrever isto…) o testemunho de espíritos em processos jurídico.

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

¿Consegue imaginar algo mais tonto do q um bando de adultos discutindo estratégias pra incluir psicografias como prova ou evidência ou testemunho ou mesmo *assunto* num processo? ¡¡Os cara tem até um projeto de lei!!

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

É como propôr q os paleontólogo enfiassem a orelha num tubo fincado no chão pra ouvir esqueletos de dinossauro no subsolo reclamando de osteoporose. Tenha a santa.

Não se trata nem de acreditar ou não numa besteira desse tamanho. Se trata, sim, de q jurista com um mínimo de cérebro incontaminado pelo hipoplausivírus jamais nem cogitaria aceitar testemunhos de terceiros como prova num processo jurídico. Êi, ¿não fez direito a faculdade? Não se aceita como prova ou sequer evidência um Fulano qqer dizendo "Ói, eu mesmo não conheço o Sicrano pessoalmente; mas ele me ligou ontem jurando pel'alma da própria mãe q ele não escorregou num tomate e bateu a cachola numa jaca; ele foi assassinado pelo Beltrano de Paula Cândido Xavier, meu vizinho."

Ou seja q, mesmo si toda a patranha espírrita fosse verdadeira, ainda assim uma psicografia não poderia èticamente ser aceita num processo pois provém dum terceiro; e si o gajo mediúnico pretendesse autenticar uma psicografia assinando o nome do falecido e reconhecendo a firma, seria processado por falsificação. ¿Esse pessoal não conhece as lei?

Pô, daqui à pouco então eu mesmo posso abrir um Escritório de Psicografia pra ganhar a vida espalmando o xavier na testa e mascarrando uns garrancho pra juiz ver.

O Dr Plausível não ri de passatempo alheio e muito menos da ilusão de voltar à se comunicar com algum finado obsessivamente querido. Mas pô, ¿como não gargalhar de hipoplausibiléticos de raciocínio tão atravessado por desejos, à ponto de acharem não só plausível mas *ético* apresentar à um juiz umas confabulação imaginária?

Olha, tou pra ver, viu?

7 comentários:

Neanderthal disse...

Citando o texto:
"O jurista Miguel Timponi (que viria a ser depois um dos fundadores da Ordem dos Advogados do Brasil e seu primeiro presidente) ... relata vários desses casos na obra 'A psicografia ante os Tribunais', destacando estudos psíquicos robustos realizados principalmente na Inglaterra e nos Estados Unidos, na Itália, na Alemanha e na França - não deixando dúvidas a respeito de temas instigantes como a imortalidade da alma, o fenômeno reencarnascionista e a plena capacidade da entidade espiritual reproduzir, com nitidez, os acontecimentos que presenciou ao longo da sua passagem terrena."

Lendo isso, percebemos o quanto o sistema jurídico brasileiro cheira mal. Se o próprio fundador e primeiro presidente da OAB defende esse tipo de palhaçada, como esperar um fim a essa impunidade que nos assola.

Camelo disse...

A psicografia já foi aceita como prova em tribunais 6 VEZES no Brasil:
2 vezes em Goiás nos anos 70. 2 vezes nos anos 80, no Mato Grosso do Sul e no Paraná. 1 vez em Porto Alegre em 2006. E a última vez em 2007.
O sistema jurídico brasileiro é uma piada de mau gosto.

Neanderthal disse...

A única solução para o Brasil é formar um centro de treinamento para serial killers e soltar os caras no congresso em Brasília, cada um com uma serra elétrica na mão.

Camelo disse...

Se vcs querem saber exatamente como os charlatões trabalham, não deixem de assistir esse documentário de Derren Brown: Miracles for sale.
Uma hora e quinze minutos de documentário que vale a pena assistir até o fim:
http://www.youtube.com/watch?v=jYjgeayfYPI

Permafrost disse...

Camelo,
Legal, esse do Brown; saber por quê as pessoa dizem q a dor passou &c.

A patroa lembrou um documentário excelente chamado Marjoe. Esta é a primeira parte:

http://www.youtube.com/watch?v=g-O9aNl2Xrk

Era um pastor mirim q qdo cresceu acabou renegando a "fé", mas depois voltou äquela vida pra fazer um o documentário monstrando os bastidores.

Pracimademoá disse...

Hahahahaha!!!!!! Desatei a rir no segundo parágrafo! O resto já li entre lágrimas...

Pracimademoá disse...

https://fbcdn-sphotos-a.akamaihd.net/hphotos-ak-ash4/405277_285195724861805_261705443877500_773535_1977481296_n.jpg

Postar um comentário

consulte o doutor