11 maio 2011

Morte dum muçulmano mau

Um leitor pediu encarecidamente q nosso eutéxico doutor comentasse a morte do binLaden.

Hm.

O doutor não é muito de ficar notando estrepolias de super-potências. É um assunto meio enjoativo: é claro q eles vão abusar de seu poder; é claro q os outros vão reclamar. Ele até q deu umas risadas. Lembrou-se dum episódio do Batman (da tv) em q o Coringa coloca um quadro seu numa exposição de arte. O quadro é uma tela toda branca. Qdo alguém lhe pergunta de quê se trata, o Coringa faz um gesto melodramático e diz q o quadro se chama "Morte dum Morcego Mau".

Então. A morte do binLaden é a mesma coisa: a tela em branco e o pintor melodramático.

8 comentários:

Refrator de Curvelo (na foto do perfilado, restos da reunião dos Menos que Um) disse...

Não poderia ter dito melhor.

Pracimademoá disse...

Boa definição.

raf disse...

Perfeito.

Camelo disse...

Não acho que o assunto seja enjoativo. Apenas evitamos discutí-lo porque não sabemos de que lado nos posicionar, e nem se temos informações suficientes para expor opiniões claras. Além do mais, sabemos que debater tal assunto significa sacrificar um pouco de nossa confortável condição de “politicamente corretos”.
De um lado, temos Bin Laden dizendo-se defensor do povo muçulmano (povo oprimido pelo expansionismo sionista patrocinado pelos EU). De outro lado, temos os EU e seus aliados defendendo-se do terrorismo muçulmano. A morte de Bin Laden pode significar muita coisa, menos uma tela em branco.
Outra questão que causa ressentimentos e controvérsias é a carga de religiosidade que o assunto inevitavelmente carrega. É difícil admitir que os dois lados estão realmente envolvidos numa guerra santa em pleno século XXI. Fechamos os olhos diante das pululantes evidências e concluímos: é tudo uma questão política. Não é não. Nos Estados teocráticos (como são as repúblicas islâmicas), política e religião são indistinguíveis entre si. Os muçulmanos ainda estão atolados na teocracia, ansiosos para impor a Sharia aos infiéis através de uma Jihad universal. Os países ocidentais já conheceram essa história muito bem: também já foram teocracias, e hoje chamam esse período de “Dark Ages”.
Não sinto nenhuma simpatia pela democracia capitalista-cristã americana, mas pelo menos eles têm uma constituição verdadeiramente laica.
Pronto, já dei o pontapé inicial.

Neanderthal disse...

O que achei significativamente implausível foi que supostamente capturaram/mataram o terrorista mais procurado há 10 anos, o inimigo público Nr. 1 dos EUA, o líder da Al Qaeda, o responsável pela morte de milhares no maior e mais divulgado atentado terrorista da história e depois simplesmente descartam o corpo no mar sem apresentar publicamente qualquer evidência concreta. Isso é plausível? Não. A história está muito mal contada.

Camelo disse...

Caro Neanderthal,
Jogar o corpo de um líder revolucionário ao mar, não divulgar as cenas de sua morte e afirmar que os rituais de sepultamento foram conduzidos respeitando os preceitos islâmicos são as atitudes mais sensatas que pode se tomar num caso desses.
Os EU não querem criar um mártir, um local de peregrinação para os radicais islâmicos, nem querem fomentar os melindres do povo muçulmano.
Não creio que Bin Laden tenha sido morto em combate. Ele foi simplesmente executado. Capturá-lo vivo teria sido um erro estratégico.
Há, sim, evidências concretas: o corpo de Bin Laden foi fotografado, filmado, e amostras de seu sangue foram colhidas. No entanto, seria uma estupidez sem tamanho divulgar tais fotos e vídeos.
A história está muito bem contada. Eu teria ficado muito surpreso se não tivesse sido assim.

Permafrost disse...

Camelo,
Não acho q "evitamos discutí-lo pq não sabemos de que lado nos posicionar". Sei muito bem em que lado me posiciono: no lado meu. Toda vez q vejo um governo autocrático, invasivo e covarde dando uma de gostoso pelo mundo e um bando de terroristas autocráticos, invasivos e covardes fazendo o mesmo, detesto saber q sinapses de meu cérebro ficam permanentemente entregues ao registro das ações de ambos; não tou no lado de nambos. Quero mais é q eles se matem mutuamente, e logo. Gente enfadonha, sô.

Derthal,
É, ¿cê viu? Bando de palhergas. Não acredito numa palavra.

Neanderthal disse...

Podem tê-lo executado, pode ter sido um acidente, ou alguma outra coisa. Não quero entrar no mérito da questão sobre se a ação americana foi justa ou não. Também concordo que os EUA devem isolar ao máximo o Bin Laden e a Al Qaeda do "povo muçulmano". Eles não podem passar a impressão de que são contra o Islam como um todo, ou que não "respeitam" os seus pontos de vista. Também não sei se concordo com teorias que sustentam que seria vantajoso capturá-lo para obter mais informações. Entretanto, não seria de forma alguma uma estupidez divulgar fotos, videos ou outros materiais comprovando a sua morte/captura. Muito pelo contrário, colocaria um ponto final a qualquer questionamento. Como alguém pode afirmar que há evidências concretas, fotos, filmagens se não as viu?
Como, por exemplo, foi feita a identificação do DNA da amostra de sangue? Ela foi comparada com o que? Um cabelo que já era do Bin Laden? Quem supervisionou isso?
Palhergas? O que são palhergas? Balelas?

Postar um comentário

consulte o doutor