14 dezembro 2010

Os brasilários

Ói, vodzeumacoipcêis, viu. Após quatro longos meses de árduo trabalho de campo na Grã-Bretanha, nosso evocante doutor já entrou rindo de volta ao Brasil. É só passar um tempinho na Zoropa, q ele já fica mal-acostumado. Dormia num bairro silencioso, ninguém lhe enchia o saco, não enchia o saco de ninguém, &c &c... A lista é grande. Mas em 5 minutos de Brasil, já caiu na gargalhada. ¿Não é hilariante? O Brasil é um país muito engraçado.

Vou contar-lhes o q sucedeu.

Chegado em Cumbica, e terminada a longa espera na fila do controle alfandegário (aquela em q ninguém tem nada à declarar), o doutor foi liberado e entrou no saguão principal do aeroporto. Tava com sede e arresolveu comprar uma garrafinha de água mineral. Viu duas lanchonetes com curtas filas ao caixa. Pegou a menor.

• Nem bem perfilou-se, notou q o primeiro freguês da fila tava numa briguinha com a moça do caixa:

Caixa: Mas não vai dar pra trocar, moço.
Freguês: Vc é obrigada a ter troco.
C: Äs vezes acontece. ¿Não quer levar outra coisa pra inteirar?
F: Não quero comprar outra coisa. ¿Por que não me dá um desconto?
C: Não quero dar desconto.

Hm... O doutor já viu q isso ia longe, então foi até a outra fila.

• Nessa outra lanchonete, havia duas moças de caixa: uma fechando seu caixa e a outra atendendo no outro. As duas trocando idéias e a fila andando. Aí um sujeito duas pessoas atrás do doutor, pensando q os dois caixas tavam abertos, fez voz pseudo-peremptória e reclamou alto:

Sujeito: Vamo trabalhar aê, ô. Olha a preguiça. Ficam aí batendo cabeça. (resmunga) Gente incompetente.

O doutor já pensaaando...

• Mais um freguês atendido, e então uma senhora q já tava comendo um lanche numa das mesas se levantou, foi até o caixa e pediu alguma coisa – na certa um adendo à sua refeição.

Caixa: Aguarda um pouquinho, por gentileza. Tem essa fila aí.
Senhora: Mas já aguardei taaanto hoje, moça. Passei a manhã aguardando na alfândega.

Foi aí q o Dr Plausível desatou sua gargalhada.

Pô. 5 minutos no Brasil – ¡CINCO MINUTOS! – e ele já presenciou:

• duas pessoas querendo tirar vantagem uma da outra durante um problema;
• um sujeito metido criando caso e desrespeitando trabalhadores;
• uma senhora descaradamente se arrogando prerrogativas especiais.

HAHAHAHAHAHAHA

Dor de barriga.

-----------

Sim, claro, a vida na Inglaterra tem vários defeitos. Mas pô, né? Cinco minutos...

3 comentários:

The Gritty Poet disse...

O cara que escreveu isso http://pensador.uol.com.br/frase/NTE2MzQ4/ nunca saiu de uma nação Anglo-Saxônica e portando não entende que em terra Latina quanto mais os sinos dobram melhor.

5 minutos, fucking hell...

Eduardo disse...

É porque o doutor não conhece o lugar onde eu moro. Aqui é cheio de baresinhos que passam a madrugada inteira tocando forró de quarta-feira a domingo. Toma aqui mais umas frases pra se divertir:

http://cinemahomensepipoca.blogspot.com/2010/08/as-conversas-mais-absurdas-que-ja-ouvi.html

(Obs:. passei 10 minutos decifrando as duas primeiras palavras :) )

MI disse...

É um parecido com "épiçoquitásbagunça", proferido por uma ascensorista e captado pelo doutor. Assemelha-se ao "rarodói" da moçada daqui dos malditos EUA, ou euá, como gosta de dizer o já citado ancião.

Postar um comentário

consulte o doutor