25 outubro 2009

Engodo e traste

Alguns anos atrás, nosso exosférico doutor deu boas risadas qdo ficou sabendo q a indústria evangélica – plena de oportunidades – havia inspirado um "paulista com formação em Marketing e Teologia, e pós-graduação em Administração" a criar um novo negócio chamado "Igreja Bola de Neve Church".

A risada obviamente não foi pela crença evangélica: rir de crença é como rir de velhinhos tropeçando; tbm não foi pelo cunho marqueteiro da coisa: rir de marketing é como rir de BEBÊS tropeçando. Riu foi do nome q deram à coisa.

¡¿Bola de Neve Church?! ¿Por que essa puxação de saco de euaense? ¿Por que não Bola de Neve Église ou Chiesa ou Kyrka? Ah, deve ser pq vivemos num mundo "globalizado"... HAHAHAHAHA Ou seja, o marqueteiro tá automaticamente dando a entender q quem fala inglês tá mais perto de Deus do q quem fala brasilês. Brasileiro raramente pensa no significado das palavras e nunca percebe essas sutilezas. Mas "ELES" percebem.

Já o nome 'bola de neve', deve ter sido escolhido pq é uma coisa q vai crescendo aos poucos, cujo poder vai aumentando. HAHAHAHAHAHA Quem bolou esse nome tá precisando dum retiro espiritual na Clínica Dr Plausível: foi vítima duma infecção hipoplausivirótica no cucuruto. Pois se não estiver infectado, ¿como é q pode imaginar q bola de neve é uma força positiva? Bola de neve é uma coisa q vai pra baixo, vai descendo o morro crescendo e crescendo e ganhando velocidade e, qdo chega lá embaixo, já virou avalanche – e se não matou muita gente, com certeza não "salvou" ninguém.

Este blogue fez campanha pra q eles mudassem o nome (pq pô, né?) mas não adiantou. Não é só uma infecção: é uma epidemia.

Mas hoje, passeando com a patroa, nosso elevatório humanista virou uma esquina e deu de cara com um carro estacionado, e o carro estacionado tinha um adesivo da Bola de Neve Church, e no próprio adesivo, abaixo do nome esdrúxulo... ¿que será q fez o doutor rolar no asfalto desguarungrugulhando o esputo?

Tava escrito ali: "IN GOD WE TRUST"

HAHAHAHAHAHA

O bordão das notas de dólar. Isso mesmo. In God we trust. Engodo e traste. ¿Dá pra acreditar?

¿Dá pra CRER?

O doutor não acreditou e foi pesquisar no site da igreja. E ¿não é q ali eles vendem, chaveiros, adesivos, &c, tudo com o mesmo bordão euaense, in God we trust? Gente de baixa auto-estima puxando o saco do ¡¡DÓLAR!!

Esse pessoal é tão "globalizado" q o site vende "cazes" e "skeezes".


"Caze", pra gente não-globalizada como eu, é um porta-livros. Na verdade, eles queriam ter escrito "case", mas devem entender tanto de spelling como entendem de neve.


"Skeeze", eles acham q é "squeeze", uma garrafa plástica pra desportistas. Na verdade, no país do dólar, "skeeze" é gíria pra "pessoa imoral e suja; mulher mais do q vadia, mais do q puta".

HAHAHAHAHAHA

(Confira.)

In God we trust. Engodo e traste. O engodo da religião aliada ao traste do marketing.

Nosso humanitário doutor tem pelas pessoas um infinito apreço e respeito. Qdo são vítimas, então, esse apreço e respeito vira dó e piedade. Não dá pra ter outra coisa por pessoas q se gostam tão pouco q chegam a misturar a inferioridade q sentem à sombra dum deus com a inferioridade q sentem à sombra do dólar.

----
Adendo:
Parece q agora eles mudaram o bordão pra "In Jesus we trust", talvez depois q alguém ali percebeu a gafe. Mas... O q antes era só uma gafe virou uma gafe + uma aberração, pois (1) não se livraram da subserviência anglofônica, (2) não se livraram da inspiração dolaresca e (3) adotaram essa moda bizarra, tbm originada nos Euá, de chamar Deus de "Jesus" – tem crente hoje em dia dizendo q o mundo foi criado por Jesus... o mesmo Jesus q veio ao mundo se sacrificar a Jesus pela humanidade, e lá na cruz olhou pro céu e disse a si mesmo, "Jesus, Jesus, ¿por que me abandonaste?"

55 comentários:

Permafrost disse...

Meu cunhado tem uma boa:

Toda vez q é abordado na rua ou alhures por um proselitista de qqer religião ou culto, ele responde: "Não, obrigado; já tenho conta no Itaú."

Pracimademoá disse...

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!

Eu acho mau gosto, quase mau-caratismo rir da fé alheia, mas eu mesmo não resisto a essa tentação! Que bando de sem-noção.

Essa história me fez lembrar de outra que eu vi nos anos 90, auge do misticismo, Monica Buonfiglio mandando ver, coisa e tal: vi um pôster anunciando palestra de uma gurua da época chamada Josefina Prophet. O primeiro nome era outro, não lembro mais qual era, mas o sobrenome artístico era "Prophet". Tinha uma foto da muié segurando a própria cabeça. Manja foto da pessoa apoiando a cabeça na mão, tipo "eu sou cabeça"? Eu vi "prophet" e, lógico, pensei em "profit". Não só pensei como presumi: essa pilantra fez DE PROPÓSITO. Tipo, não basta explorar; o prazer só é completo se você humilhar a vítima um pouquinho. Ela adotou o nome "proph/fit" de pura sacanagem. Quase que eu admiro ela, só por causa disso.

Mas, com esse pessoal da Bola de Neve, nem me arrisco a dizer que é de propósito. Pessoal de marketing é danado, a gente nunca sabe se eles são imbecis ou sacaram algo que a gente ainda não sacou.

Pracimademoá disse...

Puxa, eu não dei nem uma postadinha naquele post da Bola de Neve. Eu sou um menino tão bem comportado...

Posso pedir? Escreva a data nos posts. Explicitamente. O Wordpress não faz isso, e às vezes fica um pouco incerto. Se o Wordpress não faz, faça você. Por um obséquio, please.

Permafrost disse...

Demoá,
¿Vc visitou o site? Tem uns textos ali com uma mixórdia de Tudo q Há de Bom. A julgar pelo q li, a BNC é como uma versão cristã de esoterismo feel-good praiano. Acho utilíssimo. Alguém TEM q canalizar as torrentes de gente q nasce todo dia, não? Se não, ¿como é q fica a civilização? :p
---
Atendi ao pedido.

Neanderthal disse...

Você esqueceu de dizer que ele era surfista.
Ou seja, "In Jah We Trust!"

Permafrost disse...

Neanderthal,
Eu disse lá no outro texto.

Mas ¿"In Jah We Trust"?

HAHAHAHAHAHAHAHAHA

Adriana disse...

Quase não acreditei no teu post sobre o nome da igreja...hahahha...mas há aberrações pra tudo, então,"for christ sake"-literalmente!

Linha disse...

posso aproveitar o pedido de botar a data nos posts para pedir pra botar RSS? Ou já tem e eu sou a única que não encontrou? Abraço.

Permafrost disse...

Linha,
Não sei o q é RSS. Imagino q seja algo relacionado com celulares. Como não tenho celular, tou desinformado. Qdo tiver mais tempo, vou pesquisar.

Pracimademoá disse...

http://drplausivel.blogspot.com/feeds/posts/default
Linha:
http://drplausivel.blogspot.com/feeds/posts/default

Infelizmente, não mostra o artigo inteiro de cara. Tem que clicar para ler tudo. O Perma teria que configurar para mostrar tudo.

Talvez você goste deste serviço:
http://rssforward.net

numtenho disse...

Na verdade é pecado mortal (contra os dez mandamentos ou corolário desses) mencionar o nome de deus, de acordo com o antigo testamento. Os judeus costumam escrever D'us em português, por exemplo. É inusitado que tenham escrito God, sendo eles quem são. Não há restrição, porém, em relação a Jesus. Jesus pode!

Vc sabe se o pracimademoá escreve algum blog?

Pracimademoá disse...

Numtenho blogue, numtenho. Eu gosto de escrever no blogue dos outros, dá muito menos trabalho. :-)

Gritty Poet disse...

Lembro de uma pessoa que ao ver uma Igreja que, comparada com as moradias adjecentes era luxuosa disse, "Olha como as Igrejas enganam as pessoas", com raiva.
Uma semana depois num clube requintado que sua familia frequentava e onde me convidaram perguntei a ele se as cobranças do clube sobre sua familia era uma exploração. Ele disse que não já que eles fizeram a escolha por livre arbitrio. Mas os Evangelicos tambem não fazem a mesma escolha perguntei e ele respondeu que como são pobres , coitados e tal não era a mesma coisa.
Entretanto depois de analisar a frequencia com que sua familia frequenta o clube em comparação ao cultos, aos grupo de estudos biblicos e tantas outras atividades que o mestre de cerimonia (Pastor) organiza no "clube" dos Evangelicos chegou a cogitar que de repente os evangelicos na verdade sabem tirar mais valor do dinheiro do que ele. E ainda por cima conseguem muitas vezes adquirir o habito da leitura no processo já que ao contrario dos Catolicos são até cobrados a ler a Biblia, como se fosse um dever de casa, o que infelizmente não é pratica dos Catolicos e que não tem historico de ser incentivado nas classes sociais de onde advem a mair parte dos Evangelicos logo restando apenas a Igreja e a escola difundir. Olha que muitas vezes a igreja nesse quesito faz melhor e/ou complementa a escola, ainda mais quando a escola é fraca.
Mas enfim para que considerar essas possibilidades se contar piadas, se achar infinitamente mais inteligente por não fazer parte dos evangelicos e ainda tirar onda de bom samaritano por combater os terriveis pastores faz o filme sem esforço intelectual algum. O empirico não importa e sim as aparências.

Tudo isso para linkar meu ultimo post que nada tem haver com Evangelicos, escolas ou pessoas que querem tutelar a vida dos outros mais de repente foi o trecho abaixo que me levou a fazer a associação.

'A mule is an animal with long funny ears
Kicks up at anything he hears
His back is brawny but his brain is weak
He's just plain stupid with a stubborn streak
And by the way, if you hate to go to school
You may grow up to be a mule'

nervocalm disse...

É, GP, o hábito da leitura de um só livro pré-interpretado por um mediador e a condenação de quase todos os outros. Bem saudável pra cabeça.

Permafrost disse...

Sei não, Gritty. ¿Já viu as coisas q eles lêem? Uma vez fui ver um culto numa igreja batista, com música, &c. Os batistas são mais calminhos, acho. Até me impressionou a discrição.

Mas...

As letras das músicas eram projetadas num telão, acima do palco. Letras inacreditáveis. I-na-cre-di-tá-veis. TODAS traduzidas diretamente do inglês por algum semi-penumbro, muitas vezes não faziam sentido nenhum. Memorizei algumas frases e depois procurei correspondentes em inglês no Google. Achei os originais: todos bem feitinhos, fazendo sentido, rima, &c.

Mas teu comentário parece confirmar a parábola do texto anterior: as comunidades evangélicas não são um pólo espiritual iluminando as questões mais duras da existência; são um clube. Mas no clube de verdade, vc pelo menos tá pagando profissionais fiscalizados q pagam impostos; não são uns gatos pingados q numa terça de manhã tiveram a idéia de abrir uma igreja franchise.

Vc não pôs o linque. Cadê?

Gritty Poet disse...

"É, GP, o hábito da leitura de um só livro pré-interpretado por um mediador e a condenação de quase todos os outros. Bem saudável pra cabeça."

Nervocalm,
A Bíblia é um belo livro. Para alguns é um belo livro religioso. Se a Bíblia não fosse o livro maximo do Cristianismo ela seria estudada e admirada por um publico bem maior já que muitos que se julgam conhecedores da alta literatura e gostam de ridicularizar grupos como os crentes não possuem equilibrio suficiente para separar uma opinião sobre uma religião de uma analise digamos tecnica de um livro.
Logo se voce aceita a premissa de que a Bíblia é um belo livro sigamos.
A ignorância, a falta de curiosidade intelectual normalmente anda colada com certos hábitos nocivos, como dedicar a maior parte do tempo livre a bebida e a diversão inconsequente. Logo o ignorante segue ignorante, enche a cara quando pode já que é o divertimento que conhece adicionando a isso a prática de fazer filhos que muitas vezes não consegue sustentar. NESSE MEIO a ética, ou o comportamento Evangelico é uma verdadeira salvação. Ela abre as portas para possibilidades de avanço que a pessoa que eu acabo de descrever não tem por varias razões.
Eu conheço Evangelicos que não tiveram uma situação familiar que levasse a algo alem do velho, embriagar-se, engravidar e passar isso para a proxima geração e que graças a religião que adotaram são pessoas curiosas e responsaveis, ao ponto de terem menos filhos, bem menos filhos que seus pais tiveram, que seus conhecidos não Evangelicos da mesma classe social tiveram. E de depois de um tempo passar a ler outros livros, jornais, e cujos filhos tambem se encaminham pelos gibis. Ou seja um situação muito melhor do que aquela que um ignorante passa adiante.
Para medir o efeito da religião Evangelica no Brasil é preciso levar em conta essas coisas, o estudo do assunto deve ser empírico e não seguir para uma conclusão pré-estabelecida por preconceito na cabeça do pesquisador.
Eu estou apenas contra-argumentando aquilo que e dito sobre os Evangelicos por preconceito e estou oferecendo outra otica. No fim acho que até um Evangelico radical é menos nocivo do que um ignorante completo e que como a nossa mente é programada para preceber aquilo que é mais chamativo pode se concluir que um grupo seja majoritariamente algo que um estudo bem feito não confirmaria.
No fim quando se ataca a religião Evangelica você esta fazendo algo positivo ou azucrinando uma pessoa, caso ela seja Evangelica, que esta procurando do seu jeito e com aquilo que sua realidade oferece, melhorar.?
Não é uma pergunta valida?

Gritty Poet disse...

"As letras das músicas eram projetadas num telão, acima do palco. Letras inacreditáveis. I-na-cre-di-tá-veis. TODAS traduzidas diretamente do inglês por algum semi-penumbro, muitas vezes não faziam sentido nenhum."

Qual é o tamanho da bola de neve church em comparação a todos os evangelicos? Os frequentadores da bola de neve church estariam fazendo o que em vez de ler letras mal traduzidas projetados sobre um telão? Estariam em casa jogando xadrex? Pq a discrição dos Batistas, que são em numero algo que a bola de neve church provavelmente nunca vai ser, não merece um post. Pq tanta atenção as peripecias dos Bola de nevers ( Pergunta que deve ser feita a editores de jornais tambem).

"Mas teu comentário parece confirmar a parábola do texto anterior: as comunidades evangélicas não são um pólo espiritual iluminando as questões mais duras da existência; são um clube."

E precisam ser mais do que isso?

Mas no clube de verdade, vc pelo menos tá pagando profissionais fiscalizados q pagam impostos; não são uns gatos pingados q numa terça de manhã tiveram a idéia de abrir uma igreja franchise."

Os gatos pingados da Universal compraram a TV Record que por sua vez consegue competir com a Globo e emprega pessoas. O profissional do governo, em teoria fiscalizado, que recebe seus tributos consegue criar algo semelhante, algo produtivo?

Não seria o caso de, em vez de castigar as igrejas Evangelicas, que tem isenção tributaria e fazem apenas crescer, tal vez, quem sabe, discernir que essa formula é boa e então baixar a tributação para todo mundo, para que todos possam crescer?

nervocalm disse...

É melhor ser evangélico que alcoólatra inconseqüente? Muito provavelmente. É preferível ser evangélico e caxias a botar dez filhos no mundo pra crescerem pobres e abandonados? Certamente. Mas essa é a filosofia do menos mal. Não sou muito chegada na filosofia do menos mal. Eu prefiro pensar que todo mundo tem cérebro pra observar e entender como a vida funciona e chegar a sua própria filosofia, até mesmo os alcoólatras hedonistas pobretões. Cérebro tem poder.

Evangélicos são dogmáticos e dogma leva a ignorância. Como você chama a recusa a conhecer e/ou levar em conta qualquer coisa diferente do que diz um livro só? (O que ele diz conforme o seu mediador, é claro, porque o mediador vizinho interpretou um pouco diferente e vai pro inferno por isso.) Isso não é "falta de curiosidade intelectual"? Isso não é receita de ignorância? Está tudo ali já prontinho, não precisa fazer nenhum esforço mental. Aliás, não pode. Já ouvi padre dizendo isso em casamento.

Um evangélico radical, portanto, é um ignorante radical, que quer semear sua linha própria e orgulhosa de ignorância pelo mundo afora. Muitíssimo mais nocivo que um ignorante completo, na minha opinião.

Não sei se a Bíblia é um belo livro. É um livro que eu nunca tive interesse de ler. Mas ser capaz de separá-lo de religião não é um problema meu, que sou atéia e não-religiosa, percebe? É um ótimo conselho, porém, que você pode dar aos crentes em geral. Eu adoraria que todos eles lessem a Bíblia bem longe da igreja, do padre ou do pastor. Cérebro tem poder.

Permafrost disse...

Gritty,
Acho q vc tá levando o q escrevi pra longe do q era pra ser. Ai de mim desrespeitar essas pessoas: é a CRENÇA delas q é ridícula. E, como já disse, este blogue não se mete com gente armada. O doutor só tirou sarro do NOME da igreja (pq, pô, né?) e de sua abjeta subserviência aos ideais do dólar. Esse é um assunto recorrente aqui: como essa gente bronzeada prefere vangloriar o valor dos outros. Falei da projeção das letras na tela pra dizer q são letras TRADUZIDAS por um semi-penumbro (e não é brincadeira; vc q é poeta e gosta de letras ia ficar horrorizado; dá dó). O "church" e o "in God we trust" e as letras batistas são evidências de q as diversas crenças dessas gentes são diversas traduções brasileiras simplificadas e mal feitas das diversas interpretações utilitaristas e interesseiras EUAENSES de diversas versões diferentes de um livro sangrento, contraditório e injusto escrito por semi-selvagens 2500 anos atrás. Como não rir?

E sobre ler &c: hoje em dia é assim: por todo o Brasil, os evangélicos publicam cartilhas com perguntas e espaços pro crente responder a liçãozinha decoradinha. Uma coisa é ler, gostar de, conversar sobre, expandir-se; outra é seguir uma cartilha na qual não importa o q vc leia/escreva contanto q seja com devoção. Vc diria "é melhor do q nada". Mas a alternativa não é "nada"; é TODO o resto.

Gritty Poet disse...

"Não sou muito chegada na filosofia do menos mal. Eu prefiro pensar que todo mundo tem cérebro pra observar e entender como a vida funciona e chegar a sua própria filosofia, até mesmo os alcoólatras hedonistas pobretões. Cérebro tem poder."

Existe um enorme fosse entre o que você prefere e as opções disponiveis para aqueles que você critica. Ir pelo caminho Evangelico ajuda essas pessoas, confere estabilidade a uma vida familiar em tantos casos conturbada por problemas de alcoolismo, de desorganização completa, dos tantos males que a falta de limites causa.

"Evangélicos são dogmáticos e dogma leva a ignorância. Como você chama a recusa a conhecer e/ou levar em conta qualquer coisa diferente do que diz um livro só? (O que ele diz conforme o seu mediador, é claro, porque o mediador vizinho interpretou um pouco diferente e vai pro inferno por isso.)"

De novo caindo nas armadilhas do cerebro que tem a teimosia de pegar o pensamento corrente e jogar um luz enorme sobre tudo que a ele sustenta e no maximo uma sombra sobre aquilo que o contradiz. Você tem razão, o cerebro é poderosos, é bom aprender um pouco mais sobre como ele funciona.
O papel do Evangelico não é mandar você para o inferno, nem infernizar a vida daqueles que com ele ou ela não concordam. Isso é ignorância sua ou falta de atenção com as armadilhas do cerebro. Para um Evangelico o dever maior é não deixar que uma alma se perca para o inferno, ou seja a sua alma ir para o inferno é a prova do fracasso dele em não te salvar. Quando um Evangelico te diz algo, por exemplo que você não deve praticar jogos de azar, é justamente pq ele não quer que você cometa um pecado, pq ele não deseja que hábitos nocivos, sengundo a crença dele, no fim te levem ao inferno. Ele tenta reverter isso pq a Bíblia ( tente ler o livro) o ordena a te salvar, lembre que o que é odioso segundo esse livro é o pecado e não o pecador.

"Evangélicos são dogmáticos e dogma leva a ignorância."

A questão para mim são as opções, a realidade, e não um mundo ideal cheio de oportunidades que os criticos dos Evangelicos usam como alternativa ao argumento que estou aqui presentando.
Se você parar por um minuto apenas e tentar se informar sobre o assunto que estamos debatendo em vez de repitir os lugares-comuns que a maioria repete podes ter uma visão u pouco mais aberta, e até generosa. sobre a questão evangelica. Tente perguntar a uma criança de família Evangelica quais são os momentos que positivamente se sobresaem em sua mente ela provavelmente mencionará suas idas a Igreja.Isso acontece pq é um abiente mil vezes melhor do que esta acustumada, as pessoas não tem um comportamento prejudicial a seu vizinho, as pessoas estão bem vestidas, existe uma ordem, ou seja tudo o que falta em outros abientes que fazem parte da comunidade onde vive essa criança. As coisas que mencionei proporcionam auto-estima, o coro onde a cirança canta faz o mesmo, a peça de teatro natalina onde a criança atua idem. Tudo o

Gritty Poet disse...

Continuação

Tudo o que eu pelo menos sempre tive num abiente não evangelico pq sempre me foram dado os meios. Não vejo pq devo ridicularizar pessoas por tentarem reproduzir um pouco, um vez por semana, isso. Observo com repugnancia pessoas que acreditam que, com suas criticas acidas e tentativas de ridicularização diminuir essas pessoas estão de alguma forma "abrindo od olhos do incautos" quando na verdade estão apenas fazendo uma auto-celebração do tipo " Olha com sou tão culto/a, como enxergo longe a farsa desses ridiculos evangelicos etc etc.

Pense bem Nervocalm antes de começar mais um discurso por ai que possa ferir os sentimentos de um Evangelico pq por mais belos que sejam seus principios eles não cabem na situação daqueles que você ataca, e muito menos no orçamento deles.

Você pode usar a ladainha de sempre " mas e os impostos, eles deveriam proporcionar isso e mais aquilo". So que o que deveria ser e é afeta as pessoas que vc critica de forma bruta e não como um exercicio de retorica. É uma realidade com a qual precisam lidar e a igreja foi uma das ferramentas que encontraram, senão a unica.

Gritty Poet disse...

"Acho q vc tá levando o q escrevi pra longe do q era pra ser."

Perma, na verdade eu estava comentando os comentarios e não é post. Fico pasmado com o pensamento unico sobre esse assunto. E depois dizem que os Evangelicos são dogmaticos. Essa gente então é pos-evangelica.

aiaiai disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, nada a declarar kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

nervocalm disse...

GP, acho que ficou bem claro que discordamos, e agora você começou a falar uma língua que eu não falo (alma, pecado, inferno, essas coisas), então vamos ficar por aqui.

Você me lembrou essa dupla - http://www.youtube.com/watch?v=NWKDOikIgIs - desembestando-se em conclusões sobre o tipo de pessoa que eu sou. Não vi quando foi que arrotei cultura, me achei superior e tentei abrir supostos olhos de supostos incautos. Pelo contrário, eu falei que todo mundo tem cérebro, todo mundo tem inteligência pra chegar a uma filosofia própria. Pelo visto, essa idéia é ofensiva pra você.

A possibilidade de um comentário de uma simples maria-ninguém solitária num blog modesto ser considerado um ataque bruto que pode ferir pessoas que têm o criador todo-poderoso do universo ao lado delas - respira - essa possibilidade é bem curiosa pra mim.

Desculpe se te feri pessoalmente. Mas estou aqui como adulta, achando que estou falando com adultos.

nervocalm disse...

Pra resumir um pouco, GP. Você parece ver os evangélicos como desvalidos que têm na igreja sua melhor, talvez única, chance de levar uma vida regrada. Eu vejo qualquer pessoa como um filósofo em potencial que não precisa de mediadores (esse foi meu ponto principal, que você ignorou pra se concentrar na palavra 'inferno') pra lhe dizer o que pensar, como pensar e que tipo de vida levar. Não sou eu que faço pouco das pessoas, portanto.

Meu ponto é só um: eu não confio nos mediadores, não acredito que sejam sinceros nem bem intencionados, religião organizada me cheira mal. Nada mais que isso.

Gritty Poet disse...

"Não vi quando foi que arrotei cultura, me achei superior e tentei abrir supostos olhos de supostos incautos. Pelo contrário, eu falei que todo mundo tem cérebro, todo mundo tem inteligência pra chegar a uma filosofia própria. Pelo visto, essa idéia é ofensiva pra você."

Apenas acho que, a respeito desse assunto, você escreveu coisas muito bonitas mais sem consistência.
Um lar tranquilo, uma familia estruturada ajuda em muito o desenvolvimento de uma pessoa. As pregações Evangelicas exigem isso. Eu nâo estou indagando se você concorda ou não com as pregações nem estou usando aquele artifício desonesto ( se você é contra as pregações és a favor de um lar desestruturado) estou sim perguntando quais são os outros caminhos disponiveis para uma pessoa que precisa disso mais não tem condição e/ou capacidade para sozinha criar esse ambiente, de obtê-lo?

"GP, acho que ficou bem claro que discordamos, e agora você começou a falar uma língua que eu não falo (alma, pecado, inferno, essas coisas), então vamos ficar por aqui."

Você disse que um livro que ensina que todos aqueles que o negam irão para o inferno so gerará pessoas cheias de odio contra os "descrentes".
Quis apenas apontar que esse mesmo livro não recomenda odio a seja lá quem for e sim um esforço para a salvação do "Descrente" pelo "Crente". Você raciocinou assim (livro não admite outras versôes= seguidores de livro odiarão todos que pregam outra versão ou versão nenhuma).
Não é verdade. E a maioria dos Evangelicos com que converso não deseja a minha ida ao inferno (Não sou Evangelico, nem Catolico). Os poucos que me desejaram isso eu questionei usando a propria Bíblia.

"Desculpe se te feri pessoalmente. Mas estou aqui como adulta, achando que estou falando com adultos."

Acho injusta certas gozações que são feitas aos Evangelicos. Certamente não seriam aceitas se fossem dirigidas a outros grupos. Isso sendo dito, ou escrito, eu quero uma discussão adulta sobre o tema e não acho que ela tem acontecido. O primeiro passa me parece colocar uma outra interpretação na mesa sobre o fenómeno Evangelico no Brasil. Infelizmente o assunto nem parece ser aberto a discussão pq a conclusão já esta pronta. O problema é que ninguem verificou se as premissas que levam a essa conclusão são verdadeiras.
E isso não deveria ser coisa de adulto.

nervocalm disse...

Você disse que um livro que ensina que todos aqueles que o negam irão para o inferno so gerará pessoas cheias de odio contra os "descrentes".

Eu não disse nada nem perto disso. Leia outra vez.

Acho injusta certas gozações que são feitas aos Evangelicos. Certamente não seriam aceitas se fossem dirigidas a outros grupos.

Pois é, eu estava pensando justamente nisso. Nunca vi ninguém falar de um ateu, ou defender um ateu de gozações, usando de "ô, coitado. ele não teve outra chance, é a única coisa que ele conhece. não fale mal dele não, que ele pode ficar chateado". Nunca. Ele é sempre o arrogante sabichão, o sabichão!, logo ele que nega. O pisar-em-ovos é reservado exclusivamente aos crentes, como se eles fossem especialmente frágeis. Veja que engraçado, os seguidores do todo-poderoso, especialmente frágeis. Dá o que pensar.

nervocalm disse...

Quais são os outros caminhos disponiveis para uma pessoa que precisa disso mais não tem condição e/ou capacidade para sozinha criar esse ambiente, de obtê-lo?

Incapaz, pra mim, só doente mental.

Gritty Poet disse...

"Incapaz, pra mim, só doente mental."

Frase incisiva e poderosa, cheia de personalidade. Infelizmente não responde a pergunta.

nervocalm disse...

Eu não tenho resposta pra sua pergunta porque 1) discordo da premissa, 2) não tenho receitas de vida que sirvam a qualquer um. Se tivesse, escreveria um livro de auto-ajuda ou abriria uma igreja.

Se tem gente que acha que precisa do arreio da religião pra ser boa, e é boa, e acha bom, ótimo pra ela. Nem por isso vou deixar de falar da religião como arreio.

Pracimademoá disse...

Nervoca, por incrível que pareça, eu concordo mais com o GP que com você. Muito generoso e elegante da sua parte dar esse enorme voto de confiança à inteligência de todo mundo, mas eu, como o GP, também acho que os evangélicos "se iluminam" tanto quanto e da maneira que podem. A capacidade de inteligência de todo mundo não é igual. Se fosse igual, todo mundo era Einstein. Se eles fossem tão inteligentes quanto você avalia, eles já estariam em outra. A igreja fala uma língua que eles entendem.

Não vejo nobreza nenhuma por parte da igreja evangélica. Acho que a igreja é oportunista: vê na populaçåo miserável (e um tantinho burra) uma oportunidade de negócio criada pela omissão e incompetência do governo e várias instituições. Mas acho que nem o GP atribuiu altruísmo à igreja. Só se concentrou nos efeitos do trabalho da igreja. Mais ou menos como dizer que "o McDonald's mata a fome".

Francamente, chegar a uma filosofia própria não é para qualquer um.

nervocalm disse...

Pode ser idealismo meu, Pracima, pode ser. Mas ainda quero coisa melhor pra todos do que toda essa filosofiazinha chinfrim martelada por padre e pastor e bispo malandro. Shoot me.

Permafrost disse...

GP & Demoá,
Já eu, concordo com a nervocalm: ler um livro só e dezenas de outros q concordam com ele não é "hábito de leitura". Até dá pra dizer q as igrejas prestam um serviço socializante. Mas isso não é dizer muita coisa. Se duas pessoas se encontram num deserto, pode-se dizer q o deserto prestou um serviço socializante.

As igrejas são, de certo modo, uma terceirização do pensamento e da sociabilidade. O sujeito q se mata trabalhando a semana toda não tem cabeça pra se dedicar ao nobre esporte de buscar consolos. Vêm uns caras sorridentes dizendo q têm a chave de tudo, e o sujeito dá graças a Deus (!) pela chance de ser o passivo e desesforçado receptor de algo. Todo mundo prefere chegar em festa q já tá rolando.

A questão não é se o crente é inteligente antes de subscrever à Bíblia; a questão é q depois de subscrever, a Bíblia bloqueia o desenvolvimento do intelecto, fazendo o crente perder coisas essenciais à vida inteligente: a noção de metáfora, o espírito crítico, a contextualização de alegorias, a distinção entre o simbólico e o real, entre repressão e catarse; em particular, o crente perde duas coisas: (1) a conscientização de si mesmo e do outro como animais q contam & ouvem histórias e (2) a escala e a complexidade da realidade. Pô, uma pessoa q acredita piamente na história de Noé perdeu a CHANCE de ficar mais inteligente.

Permafrost disse...

GP & Demoá,
Já eu, concordo com a nervocalm: ler um livro só e dezenas de outros q concordam com ele não é "hábito de leitura". Até dá pra dizer q as igrejas prestam um serviço socializante. Mas isso não é dizer muita coisa. Se duas pessoas se encontram num deserto, pode-se dizer q o deserto prestou um serviço socializante.

As igrejas são, de certo modo, uma terceirização do pensamento e da sociabilidade. O sujeito q se mata trabalhando a semana toda não tem cabeça pra se dedicar ao nobre esporte de buscar consolos. Vêm uns caras sorridentes dizendo q têm a chave de tudo, e o sujeito dá graças a Deus (!) pela chance de ser o passivo e desesforçado receptor de algo. Todo mundo prefere chegar em festa q já tá rolando.

A questão não é se o crente é inteligente antes de subscrever à Bíblia; a questão é q depois de subscrever, a Bíblia bloqueia o desenvolvimento do intelecto, fazendo o crente perder coisas essenciais à vida inteligente: a noção de metáfora, o espírito crítico, a contextualização de alegorias, a distinção entre o simbólico e o real, entre repressão e catarse; em particular, o crente perde duas coisas: (1) a conscientização de si mesmo e do outro como animais q contam & ouvem histórias e (2) a escala e a complexidade da realidade. Pô, uma pessoa q acredita piamente na história de Noé perdeu a CHANCE de ficar mais inteligente.

Gritty Poet disse...

"ler um livro só e dezenas de outros q concordam com ele não é "hábito de leitura"."

É sim um hábito de leitura. E é O PASSO ESSENCIAL para um dia quem sabe ler um livro que te informará que é recomendavel que um terço de suas leituras defendam posições contrarias a aquelas que você defende e que não precisas ter um chilique quando confrontado com ideais contrarias, como aquela que diz que o fenómeno Evangelico é mal interpretado e feito de chavões em vez de pesquisa e analise insenta e empirica. Se não se chega a esse ponto ao menos insere o hábito da leitura naquela família. A leitura vira uma realidade proporcionando oportunidades a geração seguinte de querer ou não ler apenas um ponto de vista e ter um ataque quando presenciar o contrario (nervocalm) ou atingir a maturidade e ler varios, ter uma opinião e não ter aquela insegurança que leva a ridicularizar qualquer um que apresenta uma leitura diferente.Tudo isso é melhor do que não ler nada.

"A questão não é se o crente é inteligente antes de subscrever à Bíblia; a questão é q depois de subscrever, a Bíblia bloqueia o desenvolvimento do intelecto, fazendo o crente perder coisas essenciais à vida inteligente"

A questão é subscrever a algo que te obrige a sair de um circulo vicioso de beber, transar, ganhar dinheiro e gastar, sem nenhum discernimento e acumulando erros até se enterrar nele e levar junto a família.
Uma vida Evangelica, por mais radical que seja é melhor do que isso e é um ponto de partida para quem busca algo mais em vez de mais um dificuldade para alguem que precisaria então empregar suas energias em lidar com todas as consequencias das desgraças de sua vida familiar para DEPOIS investir em seu aprendizado.

"Pô, uma pessoa q acredita piamente na história de Noé perdeu a CHANCE de ficar mais inteligente."

Uma pessoa que acredita na história de Noé precisou desenvolver certos mecanismos para estudar a história de Noé e pelo menos tem as ferramentas para estudar outras coisas. Se sua aptidão permitir esse passo. Se não permitir ainda assim estará melhor servida do que estava antes.

No fim esse é o debate não?

Pracimademoá disse...

Perma, você está então dizendo que a Bíblia Sagrada deixa os leitores (mais) burros. Mas eu já li a Bíblia. Não tudo, mas li bastante, e não acho que tenha ficado mais burro por isso. Pela sua descrição, acima, parece que você também leu. Você se sentiu mais burro com a experiência? A gente fala muito isso de piada, né, "perdi uns 3 neurônios vendo aquele filme imbecil", mas é claro que isso não existe.

E, oras, se um livro pode deixar os leitores mais burros, outro livro pode deixá-los mais inteligentes, pois não? Ora, pois não! Tais livros existem mesmo. Mas não surtem efeito sobre todos os leitores. Se o sujeito for burro, hum, desculpe, se o sujeito tiver limitações intelectuais, o livro não vai funcionar. O sujeito não vai nem entender. Pergunte a professores de português sobre a imensa dificuldade que jovens e adultos de nível colegial e universitário têm com leitura e interpretação de texto. Não é a Bíblia que emburrece. O sujeito já burro acredita piamente na Bíblia.

Aliás, acho que rola uma atração. Uma afinidade. A Bíblia faz sucesso porque é maniqueísta, primária, preto no branco. A Bíblia oferece uma base moral muito clara e sólida ainda que terrivelmente equivocada. A Bíblia não só carece como dispensa o refinamento. As pessoas de pensamento pobre e julgamento simples, imensa maioria, se identificam com a abordagem bisonha das questões morais, espirituais e metafísicas. Refinamento assustaria. Refinamento não ecoa no coração delas. Sem eco, não há fé. A gente sempre se interessa por um livro, filme ou obra de arte pelo que a obra contém que se assemelha ao que já pensamos e sentimos. Se o pensamento/sentimento for confuso, somos atraídos porque queremos investigá-lo, entendê-lo melhor. Se o pensamento/sentimento for claro e estabelecido, queremos reiterá-lo e gozar o torpor do triunfo e da confiança. É tudo questão de afinidade. Se o sujeito tiver um nível intelectual um pouco melhor, provavelmente vai querer ser "alternativo": vai gostar de esoterismo. E assim em diante.

Livro não emburrece. Livro é só uma mensagem numa garrafa lançada na posteridade. Lê quem tiver vontade, gosta quem já tiver afinidade com as idéias do autor.

Pracimademoá disse...

"A questão é subscrever a algo que te obrige a sair de um circulo vicioso de beber, transar, ganhar dinheiro e gastar"

Pô. Tudo que eu gosto é ilegal, é imoral ou engorda.

Camelo disse...

Caros amigos,
SE JESUS É O CAMINHO, ALGUÉM TEM DE COBRAR O PEDÁGIO!!!
O grande perigo da existência de instituições religiosas é a freqüente tentativa (desses cobradores de pedágio) de transformar o Estado laico em Estado religioso. Isto é: impor a toda população leis constitucionais fundamentadas numa crença religiosa.
A história americana recente nos alerta para este perigo: os evangélicos americanos estão em plena ascensão política e financeira, são donos de estações de rádio, canais de TV, editoras, e reelegem seus senadores com o apoio do forte partido republicano. E não pensem vocês que eles estão envolvidos nessas questões mundanas no intuito de simplesmente granjear adeptos. Querem criar leis que inibam a livre expressão de idéias e transformar o conhecimento humano numa pseudociência que esteja em conformidade com seus livros sagrados. Querem pôr abaixo mais de dois mil anos de conquistas científicas, políticas e filosóficas em nome de uma crença (que não é nada mais do que um tipo grosseiro de cristianismo, de visão estreita, obscura e pateticamente equivocada).
Só para dar um exemplo: em 2004, diretores de uma escola em Dover (Pensilvânia) decidiram proibir o ensino do Darwinismo a seus alunos e promover o "Intelligent Design" em sala de aula. Todos sabem que os adeptos do "Intelligent Design Movement" não são mais do que evangélicos semi-analfabetos metidos a cientistas. O caso de Dover foi levado à Justiça e os evangélicos perderam vergonhosamente. O caso todo pode ser visto no documentário da BBC Horizon "A War on Science" (http://www.videosift.com/video/Horizon-A-War-On-Science-BBC-Documentary-49mins). Mas o estrago já estava feito: o "Intelligent Design Movement" acabou conquistando uma boa parcela da população (gente sem sólida educação humanística e científica) e desencadeando uma onda pseudocientífica que hoje embosteia a vida intelectual americana.
Hoje, os evangélicos brasileiros (se os compararmos aos americanos) não passam de ávidos cobradores de pedágio. No entanto, estão pouco a pouco enriquecendo, tomando conta da mídia, conquistando poder político e elegendo seus deputados. Além do mais, estão diariamente ensinando multidões a descrer da ciência e a desconfiar do mais trivial bom senso. Felizmente, não existe no Brasil um partido de direita suficientemente forte (como é o partido republicando nos EU) para promover as tontices desse pessoal.
No tocante ao catolicismo brasileiro, o que tenho a dizer é que ele pode ser considerado religião do mesmo modo que a bolachinha maisena pode ser considerada comida (parafraseando Pat Condell): até que é agradável com uma xicarazinha de café com leite, mas não passa disso.

Gritty Poet disse...

"A questão é subscrever a algo que "te obrige a sair de um circulo vicioso de beber, transar, ganhar dinheiro e gastar"

Pô. Tudo que eu gosto é ilegal, é imoral ou engorda.
Pracimademoá | 02.11.09 - 00:38 | #

----------------------------
Pracidemoá eu finalizei com "sem discernimento".
Beber, transar, ganhar dinheiro e gastar não faz mal a ninguem se é feito COM DISCERNIMENTO.
Senão é beber demais, gastar demais e se endividar, ser inconsequente na transa e deixar de prover pelo filho/a pq estas endividado já que não sabes lidar com dinheiro , se soubesses saberias que filhos custam dinheiro.

Permafrost disse...

Demoá,
Acho q deu linha cruzada. Eu não disse q ler a Bíblia (ou outro livro sagrado) emburrece. Disse q SUBSCREVER à Bíblia bloqueia o desenvolvimento do intelecto (implicitamente, em outras direções). Vc diria q só subscreve à Bíblia quem já é burro antes, mas isso não é verdade. Tenho visto religiosos muito inteligentes usando raciocínios sofisticados (embora medievalescos) pra justificar a crença de q a Bíblia / o Korão / o Torá são relatos verossímeis da realidade. O Talmude, por exemplo, é isso. Na verdade é justamente ESSE o problema – q, com raciocínios aparentemente sadios, pessoas inteligentes sejam capazes de engabelar a si mesmos e a uma vasta horda de passivos. Um dos raciocínios recentes mais insidiosos é aquele da apologética cristã q diz q Jesus é necessariamente o próprio Deus encarnado pq se vc confia em Jesus pra todos teus julgamentos morais, então ele só pode ser completamente honesto, e se ELE afirma ser o próprio Deus, então há q confiar nele tbm nisso; portanto, Jesus é Deus. Note o medievalismo no raciocínio. Se tornar-se cativo de raciocínios assim é ao q leva esse acordar prà leitura, então melhor continuar iletrado até q o hábito de ler se desperte por outros meios. O q o GP parece dizer é q só há duas opções, reminiscentes dos raciocínios estropiados e maniqueístas dos próprios evangélicos: OU o cara continua ignorante, bêbado, pobre, sujo e deselegante, OU ele entra numa igreja evangélica e portanto tem pelo menos UMA chance de virar cientista. (Tscupaí, GP, mas esse é um bom resumo do q vc tem dito aqui.)

Já o principal problema q vejo no evangelismo aqui é q o Brasil tá vergonhosamente cabresteado à produção EUAENSE de raciocínios religiosos – mal traduzidos, grotescamente simplificados e descontextualizados: o obscurecimento de um raciocínio nebuloso. Já comparei com os originais algumas traduções de apologéticos e posso dizer q o evangélico brasileiro é um capacho; pior: um pelego. O q os evangélicos inteligentes (ie, os manipuladores) tão fazendo neste país tão vulnerável é uma vergonha. Sim, até McDonald's mata a fome, mas já se viu o q a dieta McDonald's faz.

Pracimademoá disse...

Ok. Mas essa atitude de americanização não se aplica só a religião. The hole is further down.

E ainda não acredito que os tais "religiosos muito inteligentes com raciocínios sofisticados" que você citou sejam mesmo inteligentes. Lembra do que eu disse: os mais sofisticados abordam a religião de formas mais complexas (estou com vontade de dizer "complicadas"). Por exemplo, muitos gostam de esoterismo. Por baixo desse glacê de sofisticação, ainda tem um bolo de burrice e, pior, é um bolo de camadas. Eles são articulados, mas mostram-se muito presos ao moralismo dogmático. Por baixo do blablabla, há ainda e sempre o velho "arrepende-te, pecador!" (ou "cão infiel" etc.) São instintos primitivos que os proselitistas da fé sequerm identificaram, muito menos superaram. E não superaram porque faltou inteligência.

Gritty Poet disse...

"O q o GP parece dizer é q só há duas opções, reminiscentes dos raciocínios estropiados e maniqueístas dos próprios evangélicos: OU o cara continua ignorante, bêbado, pobre, sujo e deselegante, OU ele entra numa igreja evangélica e portanto tem pelo menos UMA chance de virar cientista. (Tscupaí, GP, mas esse é um bom resumo do q vc tem dito aqui.)"

É basicamente isso que escrevi Perma. So quero fazer dois reparos a suas observações. No meu entender uma pessoas no fim é pobre e continua no mesmo lugar pq a maneira com que essa pessoa conduz sua vida leva extamente ao lugar onde ele se encontra. Ou seja comportamento, hábitos de pobre vão deixar/levar alguem a uma condição de pobreza.
Para quebrar esse ciclo, ou melhor substituir um jeito de vida ja enraizado ( desculpa, jeito de vida tradução chula de "way of life") normalmente precisas de algo que realmente fala a aquela pessoa que deseja se transformar. Os Evangelicos são mestres nisso. Eu gostaria que houvesse outras agremiações que tivesses a disposição de fazer o que oe Evangelicos fazem e oferecer outros caminhos, caminhos melhores , hábitos melhores, que por mais que se critica os Evangelicos aqueles que se convertem normalmente vivem uma vida mehlor daquela que tinham antes.
Outro reparo que gostaria de fazer é de sua avaliação do material didatico usado pelos Evangelicos. Existe um debate no meio Evangelico sobre a necesidade de melhorar o didatico, especialmente nos livros usados pelas crianças e pelos jovens, mesmo assim me parece que você pegou o material dos tais Bolas de Neve e generalizou para todas as Igrejas Evangelicas. Não me parece ser o caso.

Gritty Poet disse...

http://veja.abril.com.br/idade/exclusivo/evangelicos/index.html

Apenas um Linque para futuras leituras sobre o assunto.

Guizo disse...

Eu não ia comentar, mas já foi.

Eu não entendo uma coisa, como admirador da tua inteligência: tu sempre reclama, com razão, da influência excessiva dos EUA em todos os campos no Brasil e do quanto todo mundo macaqueia o povo de lá e aplica a visão de mundo deles aqui quando ela sequer cabe.

E, paradoxalmente, tu vê pessoas religiosas como os *ateus DE LÁ veem as pessoas religiosas DE LÁ*. Já reparou?

E como vocês podem falar de cristianismo e Bíblia sem sequer ter lido o treco? Sem ter lido a história da igreja? A Bíblia é fascinante em diversas frentes para muita gente atéia, eu sou testemunha: no campo linguístico, filosófico, antropológico. Tem riqueza e fartura de material em livros sobre a história da igreja. Negócio fascinante mesmo, pra qualquer um. Mas aí a pessoa vem e diz que não tem o menor interesse em ler - e claro que não tem porque obviamente o negócio cheira a religião, tem crenças e rituais e mistura de mitos com realidade e misticismo até no cu. Perdão, nervocalm, mas isso é muito tosco. Não há outra palavra. Se estamos aqui de boa discutindo e falando sobre coisas do mundo adulto, então falar que não tem interesse em ler um livro que é leitura básica para se ENTENDER do que está falando não deveria ser postura de adulto. Simples assim. Na boa, sem ressentimento - só uso essa coisa de "de adulto" porque tu falou primeiro, e também porque concordo que ninguém aqui seja gente que fica debatendo a vida na internet em vez de ver a vida de fato, ou seja, minha concepção de não-adulto. (Vejo que tu tá ressentido(a). Ou pelo menos tua escolha de palavras parece indicar isso. Se não, esquece a besteira que eu falei.)

Uma coisa é querer que as pessoas sejam mais inteligentes do que o pastor deixa. Outra é achar que todo mundo é capaz de não ser bucha de canhão por usar o cérebro e saber questionar as coisas. Seria lindo, mas não é verdade. O mundo pode até ser melhorado, mas vai continuar a ser uma bosta. E a maioria das pessoas quer mesmo é uma pílula, uma ideologia pronta, um band-aid, e o cérebro, essa coisa maravilhosa, vai se recusar até a morte a cooperar para se livrar dessa tal coisa que a pessoa de repente acha mais valiosa que tudo. O ser humano é assim e nunca vai deixar de ser. Nisso o GP tá muito certo. É muito Dr. Pangloss achar que "a filosofia do menos mal" não serve e pronto, me desculpem. Uai, não serve pra ti. Não serve pra mim. Trimassa. Mas não tem a ver com a REALIDADE. O mundo. As pessoas. E é fato que muita gente só não te retalha à noite na sua volta do trabalho depois de pegar o metrô para te roubar 50 reais porque uma família religiosa resolveu incutir uns valores ali na cabeça da pessoa - de que o desespero dela naquele momento em que qualquer um pode fazer merda é menos importante que a sua vida de pessoa bem nascida, por exemplo.

Olha, não se melindre, Dr. Plausível, eu venho sempre aqui te ler. Mas tem horas que parece que o contato que tu tem com o mundo é feito só pela internet. Nessa

Guizo disse...

Olha, não se melindre, Dr. Plausível, eu venho sempre aqui te ler. Mas tem horas que parece que o contato que tu tem com o mundo é feito só pela internet. Nessa questão de religião e etc, de acordo com o que vejo com o debate nessas caixas de comentários e em outras, o Dr. despeja sua inteligência com base naquilo que vê EUAENSE falar no youtube. Ou inglês, que seja. Na boa: soa muito condescendente essa frase, mas é isso: eu esperava mais de ti, já que admiro todo o resto.

Continuarei lendo na moita.

nervocalm disse...

Guizo, se eu tivesse me metido aqui a discutir a Bíblia ou o cristianismo, concordaria plenamente com a sua crítica. Mas eu não fiz isso, fiz? Eu estava comentado comportamento.

A vida é curta, há muitos livros pra ler, muitos filmes pra ver, muitas coisas pra fazer. Cada um escolhe aquilo que mais lhe interessa, ué.

Quanto à filosofia do menos mal, eu não disse que ela não serve, eu disse que eu não sou muito chegada nela. Não foi isso que eu escrevi? Moralidade é um dos assuntos que eu mais gosto de matutar. A que vem da religião pode até funcionar, mas, pra mim, é a menos desenvolvida, portanto a mais tênue de todas. Mas não vou aqui destrinchar minhas teorizações a respeito.

Permafrost disse...

Guizo,
Agradeço as palavras carinhosas.

Mas vc tá enganado qto a algumas coisas.

"o contato que tu tem com o mundo é feito só pela internet"

Conheço "ao vivo" gente de várias denominações – católicos, protestantes, judeus, umbandistas, espíritas &c. Duas mulheres BEM próximas a mim são evangélicas e (teoricamente) fundamentalistas. Não são leitoras deste blogue, mas chamê-mo-las de B e D. B é batista e se diz missionária; D é adventista-do-sétimo-dia (note q a igreja batista vem da Inglaterra via Euá e a adventista vem diretamente dos Euá; TODO o material q essas mulheres compram e lêem é traduzido e adaptado do inglês, incluindo aí as imbecilidades imitadas, tais como as perpetradas por gente como Adauto Loureço e outros). Mesmo antes de entrarem nesse barco já eram duas mulheres com inteligência e moralidade acima da média. (O quesito "inteligência" entrou nesta caixa de comentários via GP e Demoá. Não acho q é preciso ser burro pra virar evangélico. É preciso, sim, ser desinformado. E essas duas mulheres, assim como trocentos fundamentalistas q vejo em todo lugar, eram e continuam singularmente desinformadas.) O q vejo nas duas é q foram aliciadas ao fundamentalismo por medo. Medo medo medo. Medo da morte, medo do Outro, medo da pluralidade. Medo medo medo.

O q GP fala sobre a oportunidade q gente ignorante tem de passar a ler &c só pode ser verdade no caso da última casta abjeta de capiaus bebuns. A menor parte de minoria ínfima. O q realmente acontece é q "missionários" recrutam, não pessoas incomumente ignorantes e incapazes mas pessoas apenas desinformadas passando por um momento de fragilidade. O aliciamento se dá em duas frentes (tipo good-cop/bad-cop): provendo generoso conforto numa comunidade e instigando o medo medo medo. Vi isso acontecer ao vivo e em cores no caso dessas duas mulheres, e desde então em outros casos.

Elas já eram gente boa e inteligente. Uma coisa q mudou nelas foi q, a partir de sua conversão, passaram a dizer as coisas mais tapadas com ar de "¿viu, não falei?", análises primárias e primitivas, respaldadas por algo q ouviram um pastor básico regurgitar num púlpito e niveladas por baixo num consenso de gente igualmente tomada de medo medo medo e desinformação.

Qto a essa apreciação de mim, vc tava só enganado. Mas errado vc tá qdo diz q "muita gente só não te retalha" pq tem valores morais incutidos pela religião. Não. A moralidade precede de longe a religião. Ninguém precisa de religião pra ser moral. Não vou tentar provar isso aqui; mas qdo essa verdade é provada a um crente, ele se sai dizendo q a moralidade foi incutida no humano por Deus, pq ele “pode qqer coisa” mas é “bom e justo”. Qdo se argumenta q isso faz de Deus subserviente à moral, ou seja, q Deus não “pode QQER coisa”, vem aquela de q ele é incompreensível ao ser humano. O q é incompreensível a essas pessoas é q elas são animais, e a moralidade é um inescapável subproduto da química orgânica. [continua]

Permafrost disse...

Acho q quem falou mais certo aí foi o Camelo. Religião organizada não tem nada a ver com salvação da alma, valores morais e o escambau. Tem a ver com política. Se vc não crê, então deve concordar em q as verdadeiras motivações dos crentes só podem ser totalmente mundanas, pois se não há Deus ou Krishna ou Tupã, ¿que é q toda essa gente tá realmente fazendo ali? Se vc achar necessário explicar por que tanta gente se organiza ao redor de instituições baseadas no aliciamento de novos adeptos e na demonização de não-adeptos, deverá concluir q, na verdade, no fundo e na superfície, suas motivações são políticas. Dentro dessas comunidades, ninguém sabe isso melhor do q os manipuladores.

Chamei de ‘vergonha’ o q esses manipuladores fazem pq o Brasil, com todos seus defeitos, sempre teve uma atmosfera social TÃO mais agradável do q a dos Euá – uma atmosfera q, acho, vale preservar ao mesmo tempo q vale complexificar e melhorar a vida brasileira comum. Claro q não acredito ser possível. Claro q só tou ralhando contra babaquices. Os Euá já venceram e o dólar compra almas brasileiras por atacado.

Covarde Anonimo disse...

É nessa church que eles praticam o snowballing?

http://en.wikipedia.org/wiki/Snowballing_(sexual_practice)

Gritty Poet disse...

Perma,
Gostei disso. http://locutoriodofrizero.blogspot.com/2009/11/fe-e-razao.html

Permafrost disse...

GP,
Então. Pus um comentário lá. Só q a caixa é moderada; então não sei se vai aparecer.

Em todo caso, meu comentário foi o seguinte:
Vc e muitos outros se enganam completamente qdo dizem coisas como "neo-ateus resolveram atacar as religiões" (só tão se defendendo), "ateus têm fé", tentam "colocar Deus sob a luz dos experimentos científicos" e não podem "oferecer mais que uma outra fé". Vc e os muitos outros tão apenas projetando nos ateus as características de vossas próprias personalidades. O ateu não é aquele q CRÊ na não-existência de deuses; ele é aquele q NÃO crê na existência de deuses. As duas coisas são bem diferentes uma da outra. Pra visualizar a maneira como um ateu pensa nos deuses, pense em como vc NÃO crê na existência de um besouro mágico, enorme como um prédio, q fala 20 línguas, mora em Manaus e inventou o asfalto. Não há argumento, documento ou testemunho no mundo q faça vc crer na existência desse besouro. O q esse besouro é pra vc, os deuses são pros ateus. Mas... se alguém te disser q só é preciso fé pra aceitá-lo em teu coração, e q vc só tem a oferecer FÉ na não-existência do besouro, é claro q vc vai achar injusto. Vc não investe tuas emoções ou dedica teus pensamentos na CRENÇA de q ele não existe. Ou seja, não é q vc CRÊ q ele não existA; vc apenas NÃO crê q ele existE.

Achei aquele texto meio lugar-comum nos erros e falsas percepções; e ele ainda arrematou com esta pérola do lugar-comum num comentário: "Falta-lhes enxergar que o ateísmo é tão-somente uma outra forma de religião que coloca no panteão a Ciência no lugar de Deus."

Aliás esse é um lugar-tão-comum q sou culpado eu mesmo de ter dito algo assim no passado – erro do qual fui corrigido por minha digníssima, q me demonstrou com sua habitual clareza isso q comentei.

Outraliás, tenho dificuldade em levar a sério pessoas q encarnaram o acordo ortográfico hemocatsaridamente. Ele fala de "militância ateia". ¿"Atêia" de quê? de aranha?

Gritty Poet disse...

Bom Perma eu espero que seu comentário seja publicado.
Saindo do assunto entretanto gostei muito desse texto do Frizero sobre educação. São erros, coisas óbvias, que fazem mal mais dificilmente encontra resistência já que elas poderiam ferir sensibilidades de educadores que brincam com o futuro de jovens.

http://locutoriodofrizero.blogspot.com/2009/10/como-fabricar-cretinos.html

E partindo para o lado pessoal a Carla Bruni cansou do franco/polaco anão e decidiu dedicar-me uma canção com intuito de reacender nosso romance interrompido.
http://grittypoet.blogspot.com/2009/11/quelquun-ma-dit.html
Não sei se aceito. Ela está um tanto velha agora.

Permafrost disse...

Sei não, GP, esse cara do Locutório me parece apenas dedicado ao nobre e popular passatempo de bodexpiatorizar quem ele abomina. Não achei uma única frase dele q não tenha problemas de escala e/ou não teja baseada em perspectiva de trincheira. Tipo, "ah, tive uma idéia ótima: vou atribuir todos os efeitos q abomino às causas q abomino". Observe, por exemplo, q ele atribui o efeito «[na França em 2004,] 12% dos adultos entre dezoito e sessenta e cinco anos sofrem de dificuldades graves de escrita, cálculo e compreensão de texto escrita e oral» à causa «ideais libertários de 1968». A conta não bate: ¿como é q a educação fundamental de pessoas q em 2004 tinham 65 anos, e portanto nasceram em 1939, pode ter sido influenciada pelos ideais libertários de 1968, ou (no Brasil) por Paulo Freire? (E se não foi isso q ele quis passar, então ele tá gororobando as palavras.)

Essa é só uma objeção fácil de explicar; minhas outras dariam mais trabalho, mas não tenho muita paciência com percepções sectárias. Meu negócio é implicar com o hipoplausivírus. :)

Sobre a Carla Bruni, vc vai achar q é brincadeira, mas tive q perguntar à patroa quem seria. Ô loco!

Pracimademoá disse...

Velha? Quem me dera pegar uma velha como ela!

Só tenho que ver se ela toma banho, porque sabe como é francês, né...

Rido Hora Jr. disse...

Olá, Dr. Permafrost Plausível.
Acho que deve se lembrar do meu falecido pai, que era um frequentador deste blog.
Após sua morte, fuçando em seu notebook, vi um monte de textos em um determinado diretório chamado Dr, e então chego agora por aqui, para continuar o bate-papo (agora em sua segunda geração :)).
O que pude perceber é que, mesmo discordando em tudo, vcs se respeitavam, e posso dizer que ele realmente te admirava, ou não se daria ao trabalho de se dedicar a escrever tantos textos cuidadosos para interagir por aqui.
Mas vamos lá!
Na minha opinião, após ler os comentários sobre este tópico, vejo um certo erro geral na galera. Todos falam por paixão, por firmes pontos de vista; todos, sem exceção, ao rotular algo de bom, imediatamente rotulam seu "antagonista" de mau, não percebendo, a meu ver, que sem trevas não pode existir luz, sem seco o úmido, sem o vazio o cheio, etc.
Lembrem-se: a mente é como a escada que o pedreiro usa para chegar a laje, mas se, ao atingir seu último degrau, não abandoná-la, como andará livre sobre o telhado/laje?
Religião/Deus/iluminação/afins e raciocínio circunspecto não são inimigos, e sim complementares um do outro.
Deus Se come-Se.
Abraços.

Postar um comentário

consulte o doutor