04 abril 2008

O estômago e a barriga (parte 2/2)

Batatinha, quando nasce,
esparrama pelo chão.

Nicolae Ceausescu


Uma das ditaduras mais tapadas da história contemporânea foi a de Nicolae Ceausescu na Romênia. Com nosso embevecente doutor à disposição ali fazendo pesquisa de campo em sua juventude a poucos quilômetros da fronteira, Ceausescu teve a palurdice de tirar do chapéu a idéia de q a população do país deveria pular de 19 pra 25 milhões duma hora prà outra, raciocinando q, se a produção incansável de bebês pobres havia alavancado a prosperidade em outros países, então nada mais lógico do q incentivar a mulher romena a entornar pestinhas uma atrás da outra. Olha só os incentivos dele:

• se a mulher derramasse 5 ou 6 filhos, recebia a "Medalha da Maternidade";
• se evacuasse entre 7 e 9 filhos, entrava na "Ordem da Glória Materna"; e
• se esputasse 10 ou mais filhos, recebia o título de "Mãe Heroína".

HAHAHAHAHAHAHA

Tem gente q vou te contar, viu.

Aí, em 1966, o ditador arresorveu proibir o aborto, o divórcio e todo contraceptivo pra ver se aumentava a força de trabalho na base da porrada. Mulher q abortasse era presa. Mulher casada q não jorrasse bebês era interrogada. Do outro lado da fronteira, o Dr Plausível gargalhava: "¡Mas esse cara é uma BESTA, sô!"

A proibição durou mais de 20 anos, e é nesse clima (já nos anos 80) q se passa o filme romeno 4 meses, 3 semanas e 2 dias. O filme açambarcou o Plausuto de Prata no 34° Festival de Cinema Plausível de Cotoxó, e portanto tem méritos q nada têm a ver com o debate do aborto. Vale ver, nem q seja pra entender como os canalhas prosperam qdo a hipoplausibilose governa.

Ceausescu – q à época tinha 48 anos e o cérebro já totalmente tomado pelo hipoplausivírus – acreditava q bastaria inflar a população pra q dali a uns 20 anos, ainda durante sua vida, a Romênia o carregasse nos ombros como o visionário q transformara o país atrasado, chato e macambúzio num paraíso progressista e iluminado, cheio de gente feliz.

E quis fazer isso proibindo o aborto.

HAHAHAHAHAHAHA

Antes da proibição, a Romênia não dispunha de pílulas ou outros métodos certeiros de contracepção; mas, vejam só, o aborto era legal e barato. Obviamente – país pobre –, havia 4 vezes mais abortos do q nascimentos. Mas no ano seguinte à proibição, os nascimentos dobraram; e, também obviamente, começaram a decair até q dez anos depois viriam a se estabilizar na taxa de antes da lei. Os motivos, claro, foram q (1) os abortos continuaram, embora ilegalmente, e (2) mais mulheres morriam em conseqüência de tentativas de aborto por amadores.

Mas aí, 6 anos depois da lei, o sistema educacional romeno começou a entrar em colapso pois havia mais crianças do q lugares nas escolas. 20 anos depois da lei, a crise se exacerbou pois as pessoas "a mais" q nasceram no surto entre 67 e 69 começaram a gerar seus próprios filhos. A Romênia ainda não se recuperou do impacto.

HAHAHAHAHAHAHA

¿Não é de esbanguelar a dentadura de rir?

¿Não teria sido muitíssimo melhor prà economia romena se a contacepção e o aborto continuassem disponíveis e q os casais pudessem ter uma vida mais produtiva, mais participante e mais inteligente, decidindo eles mesmos se queriam ter zero ou um ou dois ou três filhos?

E ¿já não era hora de os economistas, dirigentes e outras pessoas armadas, de lá e de cá, finalmente reconhecessem q a economia não precisa "crescer", q na verdade não "cresce", q só aumenta junto com a população de gente pobre, e q um objetivo muito mais salutar e realista é q a economia apenas melhore o q já existe?

Então.

¿Qdo é q vão legalizar e disponibilizar o aborto nesta joça?

3 comentários:

Neanderthal disse...

Por isso existe a diferença entre "crescimento" e "desenvolvimento".

Permafrost disse...

¿Nué verdadi?

Acho q essa deve ser a grande incógnita da economia, não?, se é possível haver desenvolvimento sem crescimento. O doutor acha q não: o desenvolvimento só é possível se há um aumento constante no número de pobres. Já eu, acho q numa economia não-capitalista talvez fosse possível. O Ceausescu teve a chance, mas era idiota.

Neanderthal disse...

É possível haver "crescimento" com um aumento de pobres que consumam, mesmo sem melhorias qualitativas, ou aumento da produtividade.

"Desenvolvimento" envolve também crescimento, mas através do aumento da produtividade/progresso tecnológico e pode ocorrer com aumento dos pobres, sem aumento dos pobres, ou até mesmo com a diminuição dos pobres, ou até mesmo com a diminuição da população como um todo.

Existe uma disciplina dentro do campo de economia chamada "Teoria do Desenvolvimento". Pesquise por "Joseph Schumpeter".

Postar um comentário

consulte o doutor