30 janeiro 2008

"Eu, gênio."

Hitler deve ser o sujeito com a pior fama em todo o universo. É a personificação do Mal.

Mas, na verdade, pessoas como nosso estiloso doutor sabem q "o Mal" não é tão ruim assim. Uma pesquisa qqer, de qqer tamanho, há de revelar q as pessoas identificam o Mal com uma intenção de causar dor ou de fazer outras coisas desagradáveis tais como destruir o q já está pronto. Mas, dado q se procura combatê-lo com preces, esperanças e "o poder do amor", ninguém deve levar o Mal muito a sério. No mínimo, não é tão temido ou detestado qto se quer fazer crer. Hitler é considerado mau não porque tivesse intenção de fazer o Mal, mas porque agiu com indiferença e foi, em retrospecto, incompetente.

Ninguém teme o Mal tanto qto teme a Indiferença. Ninguém detesta o Mal tanto qto detesta a Incompetência. Não fosse assim, ¿por que cargas d'água teria surgido a eugenia?

Até um paracelso do darwinismo como Richard Dawkins chegou a dizer q Hitler, além de tantas maldades, também teve a desfaçatez de desabonar a eugenia. Pra Dawkins, a equação pós-Hitler q ficou na cabeça das pessoas é:

Hitler = o Mal
Hitler = eugenia
portanto, eugenia = o Mal

Um sujeito inteligente como Dawkins não cometeria a estultícia de aventar a eugenia seriamente. Mas, como biólogo, ele não acha essa uma idéia tão ruim. É antipática, desagradável, mecânica e idealista, mas não de todo ruim. Pois ¿não é eugenia o q se faz com os rebanhos, os bichos de estimação e os vegetais? Se existe o objetivo e a esperança – com a qual gente tão desenganada como Freud morreu e morre – de "uma vida melhor" no futuro, ¿por que não já garanti-la ceifando na raiz "a origem de todo o Mal", isto é, "as gentes de baixa qualidade"?

O Dr Plausível, claro, cai no gargalho. A eugenia como método acabaria sendo só mais um passatempo humano, tal como as religiões e as ideologias políticas – nas palavras de Arundhati Roy, "an obstacle race, with a prize at the end". Mas, embora risível, não é essa a característica hilariante.

Hilariante é q instituir a eugenia é totalmente desnecessário. Basta estigmatizar o estupro: homens e mulheres, em suas próprias escolhas, já promovem a eugenia conscientemente e de comum acordo; o estupro é a única situação em q o desejo eugênico bilateral é contrariado por uma das partes. E embora as mulheres disfarcem suas imperfeições sob a maquiagem, a roupa e a plástica, e os homens disfarcem as suas sob a organização, o método e a hierarquia, e muito embora o jogo da sedução seja, como sempre foi, um palco de enganações, fingimentos, bom-mocismos e hipocrisias, a natureza se encarrega de eugenizar a população bonitinho e com mais eficácia do q qqer racionalização a priori conseguiria.

Em resumo: os indiferentes e os incompetentes – não os maus – vão sendo ceifados, implacavelmente.

8 comentários:

Permafrost disse...

Tá, eu sei q usei "indiferente" em dois sentidos distintos. Mas deixa.

Rildo Hora disse...

Meu caro herpes,
Demoraste um bocado para postar, não?
Vejo um erro manifesto na maneira como as pessoas rotulam, ou poderia mesmo dizer, julgam as coisas: a observação do fenômeno sob um PONTO DE VISTA (veja bem) estático, e, fatalmente, segmentado. Tudo ao seu turno, meu nobre. Suponhamos que a parede do seu quarto esteja pintada de branco. Você não poderá dizer, sob o risco de sua palavra ser uma farsa:"-a parede do quarto é branca". Para que se acompanhe o DINAMISMO indispensável a qq apreciação, deve dizer:"-a parede ESTÁ branca". No julgamento de qq coisa, há de se colocar, EM PRIMEIRO LUGAR, o fator movimento, que em tudo está, externa e internamente, não é? Então, O Mal pode causar mal agora, mas quem sabe ao seu turno não fará o bem? Então não há Bem ou Mal, se o Bem faz mal, e o Mal, bem. O problema não seria o raciocínio concatenado, posto em linha reta? No Gênesis, simbolizado está todo conhecimento, quando da criação do dia e da noite, pois, pasmem, o dia se faz noite!! O maior problema em se aceitar a Divindade, por exemplo, não seria esse tolo raciocínio em linha reta? O Motor Primus Aristotélico não estaria na coisa movida e seria a causa de seu movimento? Não é, como diz o famoso observador da natureza, tudo uma constante transformação? Vejo em vc. uma inteligência ímpar, pois saca a inutilidade da rotulação, mas talvez ainda POLARIZE sua visão, apenas substituindo os rótulos por algo mais sutil, porém ainda PARADO. Por isso a religião lhe parece um amontoado de besteiras, pois lhe falta a compreensão do movimento. Um exemplo, para seu aguçado apetite por pesquisa e conhecimento: Jakin & Boaz, O Caduceu, A Serpente de Bronze, o Orobóros. Não ponha em linha reta, por favor. Como lia eu com prazer em paredes da cidade há muitos anos: "Deus Se come-Se".
Gostaria imensamente de conhecê-lo, mas acho que perderia a graça. Um forte abraço em vc. e na patrôa.

Permafrost disse...

Rildo,

É engraçado, né?, q eu considere tudo q vc diz aí tanto "polarizado" como "parado". Falo do Mal não pq avente sua existência real ou mesmo a utilidade desse conceito, mas pq outros as aventam. O fato de q as mesmas certas idéias se manifestam em diferentes culturas – tipo a serpente como símbolo de coisas parecidas, ou até opostas – é comumente confundida por religionários como expressão de uma unidade cósmica-mística toda-permeante, qdo a evidência toda aponta pra transmutações e propagações muito mais prosaicas. O q torna essas coisas meio enigmáticas é q elas acontecem num ESCALA temporal, geográfica e transcultural q o cérebro naturalmente aldeão da gente não visualiza e só enxerga como um emaranhado misterioso de significados.

Acho também q a vida não tem interpretação MENOS "polarizada" e "parada" do q o darwinismo e a relatividade — q, talvez a contragosto, revelam o paroquialismo de todas as religiões e crenças.

Herpes da Fonseta disse...

Por que essa pessoa está se dirigindo a mim?

Herpes da Fonseta disse...

Ah, vi lá. Que confusão é esse que você arranjou, Perma? Está engraçado.

Dai disse...

'Eugenicamente' falando, caro mio, vc pertence à raça de blogueiros sérios e com tutano, embora viva rindo este HAHAHAHAHAHA, he-he...
Seu raciocício é quase lógico e eu quase sempre rio contigo. Em suma, doutor 'Eugênio': Gosto deste blog. Leio sempre mas comentar é minha dificuldade. Seu raciocínio é acelerado e talvez eu pertença a outra casta ou raça. De qualquer forma sou teimosa e invado mesmo he-he. Ou melhor:
HAHAHAHAHAHAAH...
Beijo :)

Permafrost disse...

Obrigado pelas amáveis palavras, Dai. Pra vc, uma informação em primeira mão: primeiro nome do doutor é Amônio.

Motta disse...

Fala, Pa.
Vou meter meu bedelho em todos os posts da página, ok? Num tenho nada prá fazer nas próximas 2 horas, mesmo. Depois vou tocar aquela bosta de salsa naquele bar horroroso. Coisa feia com o velhinho, hein? Isso não se faz! Já de castigo!

Postar um comentário

consulte o doutor