17 novembro 2007

Money makes the world go down

Nosso ebirridente doutor acaba de ver o recente filme de Michael Moore, Sicko, e tem isto a dizer:

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
HAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
HAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

Vale a pena ver, nem q seja pelo magnífico timing.

Moore compara, dum lado, os amplamente satisfatórios sistemas de saúde do Canadá, Inglaterra, França e Cuba, responsabilidade de seus governos, e, do outro, o desastroso sistema de saúde euaense, regido pelo lucro das seguradoras (HMOs = health maintenance organizations, tipo planos de saúde). Este país (ie, o Brasil) – cujo sistema de saúde caminha incerto em cima do muro entre o modelo europeu e o euaense, pendendo perigosamente pra este último – faria bem em ver esse filme e meditar um tantinho.

Foi o q fez o doutor. Sicko não roça nem de leve no assunto "aborto". Mas isso não vai deter o doutor, vai?

Um aspecto, digamos, pouco visível nesse documentário é q nos quatro países extra-Euá visitados, duas coisas coincidem: (a) o aborto é legal e (b) o atendimento médico é eficiente e universalmente gratuito. Ou seja, se funcionar direitinho, nesses países (1) há uma limitação no número de nascimentos mas (2) toda vida q nasce é amparada e tem seu bem-estar assegurado pro máximo gozo.

Em contraste, nos Euá (a) o aborto é legal mas (b) o sistema de saúde extorsivo, ineficiente e corrupto deixa à míngua uma parcela enorme da população. Ou seja, se funcionar direitinho, nos Euá (1) há uma limitação no número de nascimentos mas (2) não se garante o bem-estar dos q nascem.

Já no Brasil, (a) o aborto é crime e (b) o sistema de saúde ineficiente e corrupto deixa à míngua uma parcela enorme da população. Ou seja, se funcionar direitinho, no Brasil (1) não há limitação no número de nascimentos E (2) não se garante o bem-estar dos q nascem.

Temos q:
Canadá, Inglaterra, França e Cuba: +a +b
Euá: +a –b
Brasil: –a –b

Nessa área, as leis brasileiras idealmente tendem a fazer do Brasil um país com população de alta rotatividade – gente nasce aos borbotões, tem lá sua vida ativa e, qdo dá defeito ou envelhece, definha rapidamente e bye-bye. É a política do "sai da frente, q atrás vem gente".

Ou seja, brasileiro nasceu pra trabalhar.

Qdo vc ouvir algum político, órgão do governo ou militante anti-aborto falar em "valorizar a vida", já sabe o q significa: aumentar o preço da vida útil. O retrato fiel do Brasil proposto são as empresas privadas de transporte público abarrotado de gente apinhada indo trabalhar, com um letreiro incongruente dizendo "Transporte: Um Direito Do Cidadão, Um Dever Do Estado".

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

6 comentários:

Lucas disse...

Moro no Rio e vou pra escola de trem umas 6h da manhã (mais ou menos 1h de viagem). Fica MUITO cheio nessa hora e lá pras 5 / 6 horas da noite, quando o proletariado tá voltando pra casa. Tem vez que pessoal viaja de porta aberta, travando ela com o pé e botando a cara pra fora...

Metrô também fica cheio, com a diferença que a passagem é mais cara, então geralmente é pessoal mais elite. Daí é mais limpo, não é permitido travar a porta, é mais rápido, não tem ambulantes foras-da-lei, não tem evangélicos cantando, etc.

Permafrost disse...

Lucas,
Qdo vejo ou penso nessas coisas, lembro do refrão numa música do Leonard Cohen (uma das preferidas da patroa), Dress Rehearsal Rag:

"That's right, it's come to this.
And wasn't it a long way down?"


(Aliás a letra toda tem a ver.
http://tinyurl.com/33o6v2
O cara tá ensaiando seu suicídio e vc pode ler a letra como se fosse o próprio Brasil falando. Claro, há outras maneiras de se suicidar do Brasil...)

Andre disse...

Muito, muito boa!!!!
"população de alta rotatividade" foi um dos melhores termos que já li em toda a minha vida!

É, o Brasil é mesmo uma máquina muito bem azeitada! Só não vê quem não quer (ou está no ônibus)!

Herpes da Fonseta disse...

A expectativa de vida desses países mencionados:
[dados de 2000]
Canadá 79.4
França 78.8
Reino Unido 77.7
EUA 77.1
Cuba 76.2
...
Brasil 62.9

Na América do Sul, o Brasil perde para:
Chile 75.7
Uruguay 75.2
Argentina 75.1
Paraguay 73.7
Venezuela 73.1
Suriname 71.4
Ecuador 71.1
Colombia 70.3
Peru 70.0
Guyana 64
Bolivia 63.7

Isto é, TODOS.

F. Arranhaponte disse...

A expectativa do Brasil é 72, da Fonseta. Acabou de sair nos jornais

Rildo Hora disse...

Leonard Cohen, me corrija se erro, não é aquele compositor horripilante que canta como se estivesse com uma prolongada prisão de ventre? É bom para enxotar visitas que se demoram...
Puxa, se a patrôa é feminista, como vc. diz, todo bom machista adoraria observar em off (e com tampões de ouvido, naturalmente) uma reunião de feministas com esse cara cantando ao fundo. Seria um suicídio coletivo.

Postar um comentário

consulte o doutor