20 agosto 2007

a rephórma hortográphica

¡Não tou falando, catso? Além de haver gente q não pensa, tem gente-q-não-pensa ditando decretos.

E ¿não é q um bando de desocupados mentais resolveu porque resolveu q o português precisa de mais uma reforma ortográfica?

¿Vai acabar nunca, essa ladainha? HAHAHAHAHAHAHAHA

¡Ô miasarma!

Três anos atrás, nosso euforizante doutor já havia denunciado a pantafaçuda imbecilidade nessa mais-uma iniciativa de decretar quais letras e acentos o povãozão do Brasilzão DEVE usar. Ninguém deu ouvidos ao doutor (claro, ¿já viu funcionário público dar ouvidos?) e agora sai um decreto criando novas confusões, adicionando problemas e... lóóóógico... enchendo a bola do nicho dos incompetentes dicionários brasileiros, cujo principal diferencial não é a clareza nem a iluminância nem a pesquisa nem a abrangência nem o bom-senso (tirando poucos, como o da UNESP, do Francisco da Silva Borba), mas as palavrinhas soletradinhas de acordo com a última reforma ortográfica.

Sem falar na bizarrice das reformas. ¿Por que combas não se pode grafar 'óptimo' em Portugal e 'ótimo' no Brasil? ¿Causa alguma confusão entre essas culturas TÃO distintas, Dona Nhoca? ¿Será porque ninguém mais pronuncia o P de 'óptimo'? Se é assim, então ¿por q cargas d'água esses decretistas impunes não tiraram também "estorvos" comuns:

• o L de palavras como 'culpa' (todo mundo pronuncia 'cuupa')
• o E de palavras como 'desculpa' (todo mundo pronuncia 'tscupa') e de todas as palavras q comecem com o prefixo 'des'
• o I átono de palavras como 'lástima' (todo mundo pronuncia 'lastma')

e dezenas de outros?

¿Por q catralhos esse pessoal não deixa o povão escrever em sua própria língua o q bem entender do jeito q bem entender e assim estimular a inteligência do discurso e a percepção dos significados em vez de emburrecer ainda mais e limitar ainda mais a concentração do portuguesante naquilo q está escrevendo, e forçá-lo a prestar ainda mais atenção em como está escrevendo? Depois reclamam q brasileiro não sabe escrever. Claro q não, Pedro Bó. O brasileiro é alfabetizado numa ortografia aos 7 anos e depois aos 8 tem q aprender outra. Desse jeito, os professores q não sabem mais onde pôr acento vão achar mais fácil ganhar a vida pondo o assento em outro lugar... (haja visto, né, q 37%...)

HAHAHAHAHAHAHAHAHA

¡Ôô miasarma!

Alguém tem q deter esses decretistas, meu santo. Alguém tem q dar um BASTA. Já deu flor. O Dr Plausível gostaria imensamente q ao menos UM dos grandes jornais olhasse essas reformas de soslaio e simplesmente dissesse "NÃO! CHEGA. VAMOS DEIXAR COMO ESTÁ." ¿Q aconteceira? ¿O governo chiaria? ¿Mandariam a rádio-patrulha investigar? o exército invadir? o executivo cassar o alvará? ¿Q jerdas podem fazer esses decretistas de picuinhas contra quem simplesmente se recusa? NADA. ¿Então por q é q todos os bichinhos aceitam as coleirinhas, meudeusdocéu?

¡Ôôô miasarma!

¡Ôôôôô miasarma!

12 comentários:

Andre disse...

Pois é... Eu não entendo pra que existe essa tal comissão de países de língua portuguesa. Eles querem padronizar uma língua ignorando as diferenças culturais!

Pô, se já existe diferença grande entre um gaúcho e um baiano, imagina entre um europeu, um latino-americano (latinoamericano, segundo a nova regra) e um africano!

Quanto aos jornais, acho que a vendagem vai cair se escreverem ditongos abertos com acento. TODO MUNDO se preocupa com ditongos abertos acentuados. Não pode mais.

Herpes da Fonseta disse...

Os dicionários brasileiros são meio incompetentes mesmo. Embora vc possa encontrar palavras como "pantafaçudo", em compensação cadê "gombas", "catralhos" e "jerdas"?

Pracimademoá disse...

Mas o serumano é um dilícia, nué mesmo? Eu me canso e descanso de ver um monte de gente preguiçosa escrevendo e-mail e chat sem nenhum acento ou, no máximo, dois ou três pra fazer número. Agora que querem tirar alguns acentos de toda a língua portuguesa, estou vendo um monte de gente dizendo que "nos meus acentos ninguém põe a mão!" Rebeldes sem alça.

nervocalm disse...

Sei não, Pracima, mas eu diria que são dois montes de gente diferentes, esses aí.

Não estou levando muita fé nesse acordo, mas se ele sair, vou continuar acentuando como sempre acentuei (até em chat!). Não vou me policiar amanhã pra escrever 'a feiura da gonorreia quinquenal provoca enjoo'. Daqui a vinte anos, quem sabe sai naturalmente?

Unespiano disse...

Quer dizer que o dicionário daqui é o único que se salva, dr?

Pracimademoá disse...

Nervoca, mas você consegue encaixar isso numa conversa? Putzgrila.

Eu acentuo até no MSN. E continuarei acentuando mooooito.

Permafrost disse...

Unespiano, pior q é mesmo. Entre os enchimentos pomposos do Houaiss, a imprecisão do Aurélio, as irrelevâncias do Michaelis, as incoerências do Caldas, fico com a clareza e os exemplos do Unesp. ¿Qdo é q vai sair a versão em cd?

Pracimademoá disse...

Que incoerências do Caldas?

Permafrost disse...

Putz, agora vou ter q ir até uma livraria e olhar tudo de novo. Daqui a uns dias respondo.

Pracimademoá disse...

Caldas em livraria? É ruim, hein? Sebão, e olhe lá.

Rildo Hora disse...

O que importa é entender. Já saiste da escola, presumo. Então, às favas com acentos e outros tais. Tua patroa te entende? O porteiro? Vc. entende o porteiro? O bilhete da empregada te é claro? Entendeu, tá valendo. Ah...., mas e nossas crianças, não é mesmo? Vão ter que dar uma malhadinha prá fazer média no boletim, e depois mandar acentos e adjacentos para a meretriz que lhe trouxe ao mundo. Mesmo porque, assim que se virem livres da maldição chamada escola, procurarão praticar atividades que dispensam sabedoria gramatical. Me entende? Se não, quem realmente gosta, com certeza!!

Permafrost disse...

É mesmo um assunto sem importância, qdo ninguém lhe dá importância. Mas ao ser-lhe dada importância, passa a tê-la. Uma das ãã "denúncias" q o Dr Plausível faz é justamente q essa importância é um dos construtos artificiais q empacam o desenvolvimento intelectual do brasileiro médio.

Postar um comentário

consulte o doutor