25 março 2007

Ref.: pleba

Parece q muita gente está animada com a idéia dum referendo sobre reeleição, financiamento público de campanhas, aborto, o parelhamento e voto obrigatório. O Dr Plausível só ergueu o sobrolho levemente.

Existem trocentas teorias sobre a função do estado. Uma guglada por cima traz pimpinelas cor-de-rosa como:

A função do estado é:
:•) "proteger a sociedade e as pessoas de bem em primeiro lugar"
:•) "assegurar os direitos negativos da população, isto é: impedir a coerção, &c"
:•) "traduzir em normas escritas os princípios que se firmam na consciência social"
:•) "preservar os direitos naturais à vida, à liberdade e aos bens"
:•) "promover o desenvolvimento social"

e por aí vai. Tudo verdade, claro. Mas nosso esclarecido doutor, como sempre, vai mais além e resume toda e qqer definição plausível de estado a um só princípio básico universal:

"A função do estado é proteger o cidadão contra gente imbecil."

De onde resulta o paradoxo q vc, leitor, só de ler esse princípio, já pescou: se 96% dos "cidadãos" são também "gente imbecil", incluíndo aí 96% dos estadistas, então ¿que catso?

O doutor presume, no entanto, q apesar de 96% dos estadistas serem também imbecis, são eles q desempenham a função do estado e, mesmo q 96% de suas decisões sejam também imbecis, eles são apenas representantes do povo, e não o povo em si: ou seja, qqer imbecilidade q praticam pode ser facilmente revertida bastando substituí-los por outros representantes.

Exceto... qdo cometem uma imbecilidade irreversível, tipo, qdo se eximem vergonhosamente de seu trabalho de proteger o cidadão contra os imbecis numa controvérsia polêmica e pedem ao próprio povaréu imbecil q decida diretamente o q fazer pra se proteger uns dos outros. Aí não dá pra voltar atrás: ¿não foi o próprio povo q decidiu?

Em decisões q dependam da moral, fazer referendo é encomendar golpe – não golpe de estado, mas golpe parlamentar, golpe jurídico, &c. Porque ¿vai q o referendo decide algo q gente poderosa não está a fim de cumprir? E ¿de que vale um referendo se, depois de decidir algo impalatável a imbecis poderosos, eles podem contestar tudo invocando algum preciosismo legal na ribomboca duma cláusula?

Muita gente acha q plebiscito e referendo são a expressão máxima da democracia. Que nada. Em questões de moral, são nada mais q a expressão máxima da ditadura do imbecil coletivo, o equivalente cognitivo dum estouro da manada, o equivalente político do linchamento sumário. Levar uma questão polêmica à decisão do povo é a manobra de quem sabe e quer a resposta q o povo dará.

Mas, qdo os próprios representantes sabem tão pouco o q estão fazendo ali a ponto de pedir a opinião "soberana" do povaréu em questões morais, ¿que mais se poderia esperar?

Aliás, no mesmo referendo decidir sobre obrigatoriedade do voto e sobre as outras polêmicas é atestado de burrice, não é? O sujeito vota q não deveria ser obrigado a votar e ¿logo em seguida é obrigado a votar nos outros ítens? Ou pior, o inverso: ele vota nos quatro primeiros ítens e ¿aí é traiçoeiramente obrigado a votar q nenhum de seus votos anteriores era pra ser levado a sério?

?!?!? HAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

¿Não seria mais ãã... inteligente fazer primeiro um referendo sobre a obrigatoriedade e depois um outro sobre o resto?

Claro q seria. Mas imbecil é imbecil, né? Fazer o quê?

10 comentários:

Rildo Hora disse...

O problema maior é o banco de reservas. Ao sair o imbecil, entra o palerma. A imbecilidade já é uma grande massaroca, forjada em anos de cuidadoso cultivo. A nós, que pretensamente nos julgamos os 4% (quando na verdade não o somos), nos resta apenas protestar nos blogs da vida, e continuar a votar nos "representantes". Ou virar os mesmos. Mas não será menos doloroso enfrentar a solidão que a multidão?
Ahhh, saudades!!! "Life was such an easy game to play".
FLW!!!

Permafrost disse...

four letter word?
famous last words?
fucking liberal wasps?
for the love of wod?

Pracimademoá disse...

Não, não é mais inteligente porque 1 plebiscito custa muito dinheiro e incomoda muita gente, e 2 plebiscitos custam custam e incomodam incomodam muito mais.

Achei essa blogada de hoje toda muito ingênua. Nas entrelinhas, o autor parece ainda acreditar nas funções de fachada de um político e espantar-se porque elas não são cumpridas como acha que elas deveriam. Para quem está ciente das verdadeiras funções que eles exercem, não há nada de espantoso na forma com que a política é conduzida aqui e alhures.

Permafrost disse...

Talvez não tenha ficado clara a abrangência da definição plausivelina de 'imbecil'.

Neanderthal disse...

A função do estado é proteger o cidadão contra Mocorongos

Permafrost disse...

Putz, é mesmo!! HAHAHAHAHA

Rildo Hora disse...

FLW = "Falô", ou na liguagem internetiana, "Falow".

Neanderthal disse...

"...e o fim do sexo obrigatório."

Rildo Hora disse...

Entre pessoas do mesmo voto?

Henrique disse...

Legal que no link que o senhor disponibilizou diz que um dos temas do plebiscito é "União civil entre pessoas do mesmo voto."

Postar um comentário

consulte o doutor