02 setembro 2006

A inteligência emocional do peixe

Sesdias, um desses telejornais locais (nem me lembro qual) pichou nas telinhas uma reportagem sobre a profissão de peixeiro. Té aí, tudo bem. Cada um na sua.

Té aí. Só q o repórter perguntou a uma senhôra qual característica deveria ser valorizada num peixeiro. A dona-de-casa não vacilou:

"Ah, peixeiro tem q ser comunicativo, né?"

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

Mas ¿q é q deu nessa gente? Vcs podem achar q a declaração estapafúrdia não é muito relevante, já q pode simplesmente ter partido duma pessoa estapafúrdia. Mas o Dr Plausível viu lá de longe q se tratava duma pessoal normal – e isso mostra q o vírus da hipoplausibilose pode já ter empastelado os miolos de toda a população feito papa de bebê.

Pois vejam bem: jendia, apenas com o besteirol pichado diariamente na imprensa, uma dona-de-casa pode filtrar e destilar milhares de minhoquices sobre "liderança", "gerenciamento pró-ativo", "inteligência emocional" e o baralho a buatro, e sair-se com uma pérola q faria um teórico das relações humanas beijar seus pés e pedir colinho.

Jendia, qqer empresa faz testes de sociabilidade pra ver se um candidato é "comunicativo" e "pró-ativo" e o cacete. Logo-logo, um peixeiro de primeira linha talvez não consiga emprego por não olhar nos olhos do entrevistador e não desenhar uma pizza redondinha "q represente sua personalidade". Bleargh.

Essas receitas prontas de sucesso vêm transformando o mundo num cocozão, ¿não é verdade? Admite.

4 comentários:

Biajoni disse...

pô, não conhecia não, mas pelo link que vc passou, ele está coberto de razão.
:>/
vou pesquisar mais.

Permafrost disse...

Vc pode ver o cara numa entrevista lincada abaixo. São três blocos, o linque é pro primeiro.
(Pra quem pegou este bonde andando, este assunto nada tem a ver com o texto sobre o peixeiro.)
http://www.camara.gov.br/internet/TVcamara/default.asp?selecao=MAT&velocidade=100k&Materia=24042

Domingos Junior disse...

O "Lalo" (não sou íntimo, não) parece saber do que fala. Meus conhecimentos sobre o assunto são parcos, mas os argumentos dele são bons. Chega quase a me convencer.
Quanto à forma, me assusta um pouco o fato de o aparelho de TV dele ter "seletor de canais", daqueles que a gente girava o botão. Faz supor que ele não vê os programas há muito tempo ou que, no mínimo, os vê num aparelho beeem obsoleto...
Ah, sugeriria também usar um ou dois números menores de paletó. Talvez nem o peixeiro, que é, de sobejo (que boniteza!), emocionalmente inteligente, compraria mais pano do que a manga necessita.

Permafrost disse...

Ah, nem vi o terno do cara. Eu só ouvi a entrevista, pq enquanto ela passava, fiquei costurando uma camisa rasgada.

Muita coisa da tv podia igualmente passar no rádio.

Postar um comentário

consulte o doutor