24 abril 2006

O astropauta

Muita gente no espaço crítico brasileiro (também conhecido como Sala Portnoy) vem reclamando dessa melenga toda sobre o cosmonauta nascido no Brasil. Reclamam dos (dependendo da versão) 10 ou 12 milhões de doletas do contribuinte brasileiro gastos pra pagar o projeto pessoal dum funcionário, do Lula q medalhou o cara, dos jornalistas q não põem o cara na parede, etcétera. O Dr Plausível fez umas considerações, gargalhou à larga, e foi ler o dicionário romeno-francês no banheiro. Eis um resumo do q disse:

Jornalista é alguém pago pra dizer o q não sabe sobre um assunto q não conhece. Mas nenhum jornalista vai pôr em risco o leite das crianças fazendo essas perguntas ao astropauta, pois, num aspecto, o jornalista é igualzinho a um profissional de qqer outro ramo: sua prioridade número um é tirar o cu da reta.

Também é essa a prioridade do presidente, seja ele quem for. O Lula chegou aonde está porque tira o cu da reta melhor do q ninguém. Ele é o Grão-Mestre Nacional de Esquivamento Anal; e ele é q deveria ser motivo de orgulho aos brasileiros, não esse pelego Mark Bridges.

Em assuntos como esse do programa espacial, o Lula é como qqer outro presidente: pegou o bonde andando e nem viu q linha era. Ele fez, em seu estilo necessariamente peculiar, exatamente o q qqer outro gato-pingado faria em seu lugar; e também pensou o mesmo: "Taquipariu, vou ligar o piloto automático nesta solenidade, e depois eu volto ao q interessa."

2 comentários:

Pracimademoá disse...

Posso entender a revolta de alguns com mais esse gasto questionável do dinheiro público, mas nessas horas eu sempre acho "gozado" (na verdade não tem graça nenhuma) que o esporte ninguém critica.

Pois é, o esporte. ¿Quem não aprecia uma boa oportunidade de dizer que o esporte brasileiro precisa de mais incentivo? ¿Quem não aprecia uma boa oportunidade de dizer que tanto as empresas quanto o governo (dinheiro público) deveria patrocinar mais o esporte brasileiro? Esse tipo de discurso soa sempre tão bonito, não é mesmo?

Taquepariu, com tanta gente passando fome, com tanto hospital negando atendimento por falta de recursos, com tantas escolas mal equipadas, com tanto professor fudido e mal pago, com tanto policial se corrompendo porque ganha uma miséria, com tantas doenças mortais demandando mais pesquisas incansáveis e impagáveis, essas zebras vêm dizer que temos que "investir" em ESPORTE??? ESPORTE???

O que é que se faz com uma bosta de medalha? Dividi-la em pedacinhos para que sejam distribuídos aos famintos? O que é que se faz com um troféu? ¿Enfiá-lo no rabo do desocupado que alcança fama e fortuna só porque sabe bater em uma bolinha com uma raquete fazendo UH! ou se jogar na quadra para a bola não tocar a quadra? Deixa logo essa porra cair no chão, que diabos! Que tal ir varrer uma calçada, ensinar alguém a ler ou dar banho em um paciente de cama? Que tal fazer algo de ÚTIL pra variar?

Daí o Galvão Bueno grita "VENCEMOS!", "SOMOS CAMPEÕES!" "Somos", como se o país inteiro tivesse vencido quatro sets de vôlei ou dado um salto carpado triplo no vácuo com joelhada. A nação inteira iletrada, desdentada e iludida gozando com o pau dos outros. Porque quem leva troféu e medalha pra casa são eles, os atletas. Não é o país. E mesmo que cada um dos 60 milhões de brasileiros recebesse pelo correio seu trofeuzinho e sua medalinha, e daí? O que é que se faz com aquela merda? Que utilidade o esporte tem para um país?

Se eu fosse empresário e um esportista viesse me pedir patrocínio eu mandava ele ou ela ir tomar no cu. Vai trabalhar, vagabundo! Não tem nada pra fazer? Vai ser voluntário em alguma creche. Vai visitar um asilo. Vai fazer faxina no hospital do câncer. Aprende a ser gente. Imagine, então, sustentar o hobby desses marmanjos com dinheiro público!??

Pelo menos a viagem do nosso astronauta teve alguma finalidade científica. Ciência nunca é demais. Esse país precisa é de ciência e educação, não de Gugas e Daianes e colocações no rânquingue.

Permafrost disse...

Demoá, ¿já leu Os Bruzundangas, do Lima Barreto? Os cara é assim desdos primórdio. Os cara quer mamar das teta.

Em "Brasil, Terra de Contrastes", RBastide dizia: "No Brasil, tudo mudou. Mas as correntes subterrâneas permanecem as mesmas." Esse livro foi escrito nos anos 50 e estudei com ele na 8ª série nos anos 70 (!).

Na citação, o Bastide descobriu a América no mapa. Dá pra dizer aquilo de qqer país do mundo - até de qqer pessoa, talvez. Mas o específico do Brasil é q os cara quer mamar das teta.

Outra coisa é "somos campeões" do GB. O Brasil é campeão em automobilismo com carros e patrocinadores estrangeiros; em atletismo com equipamentos e paramentos estrangeiros; em futebol até com as bolas de marca estrangeira. Q catso?

Postar um comentário

consulte o doutor