21 outubro 2005

Travessuras de gramãticos

Em país lusófono, sempre dá pra contar com os gramáticos pra raciocinar tudo atravessado e destrambelhar as cabeças de gado q seguem as regrinhas cagadinhas. Sesdias, o Dr Plausível, ao ler numa legenda a frase "Não aceito mais má-criações do seu filho", sinceramente sentiu dó.

Pois ¿não é q o dicionããrio não glosa 'malcriação'?

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

Q ridículo.

Qqer besta de carga pode raciocinar q a locução 'má criação' (tal como numa frase como "Os maus modos à mesa são indício de má criação.") resultou na locução adjetiva 'mal criado' e então no adjetivo 'malcriado', e daí resultaram os substantivos 'malcriação' e 'malcriadez', ora pois não?

Mas depois de relegar 'malcriação' e 'malcriações' ao Cemitério das Boas Criações do Português, lá vêm os gramããticos dizer q o certo é 'má-criação' com o plural 'más-criações' e ¡PASMEM TODOS! também 'má-criações'.

Se vc encontrar uma só pessoa q diz unselfconsciously 'má-criações' em todo o planeta Terra e mais três luas, o Dr Plausível jura q faz o curso de Fascismo Avançado da Universidade Mussolini de Berlin.

15 outubro 2005

P1b: preconceitos sem ibope [2/3]

Abaixo, um resumo da segunda parte da palestra do Dr Plausível sobre a preconceitada toda. Leia a primeira parte aqui.

« Em filmes, por exemplo, o herói não pode menosprezar gente de raças diferentes da dele e deve tratar a mulher com respeito e equanimidade. Mas qdo o mesmo herói faz careta ao receber atenções de mulher feia, burra ou chata, a cena é tratada comicamente. Enforcar negros/judeus/índios e queimar/escravizar/espancar mulheres não pode; mas dificultar a felicidade e a reprodução de gente feia/burra/chata pode, né?

« Talvez admire a alguns q o racismo e o sexismo gozem de tanta publicidade, qdo há tantos outros preconceitos mais funestos e odiosos. Mas os motivos pra tanto ibope são simples:

« (1) raça e sexo resultam em preconceitos de vista curta, ou seja, generalizações identificáveis à distância mesmo por quem não enxerga bem; o racismo e o sexismo têm assim uma longa gama de distâncias pra se divertir, enquanto q o burricismo, o feiurismo e o chaticismo (por exemplo) precisam de maior proximidade pra fazer diferença;

« (2) tanto o racismo qto o sexismo se tornaram mais evidentes só recentemente, nos útimos 300 anos, com a multiplicação das interações entre as raças e com a multiplicação das atividades compartilhadas entre homens e mulheres; ou seja, preconceito antigo é tido como "natureza humana" e preconceito 'novo' é tido como ofensa (até 300 anos atrás, a ojeriza contra raças estrangeiras não era de todo infundada).

« Hoje há campanhas enormes, amplamente diluídas em toda a mídia, contra o racismo e o sexismo. No entanto, usar a modernidade dum preconceito como justificativa pra atacá-lo é, no mínimo, uma atitude preconceituosa. É como dizer q a moda de hoje é 'melhor' q a de ontem. Todo preconceituoso, assim como todo lambe-moda, acha q tem mais discernimento q o resto dos mortais; mas quem isola um preconceito pra atacar tbm está sendo preconceituoso: existe sim o preconceitismo - a crença de q o preconceito q vc ataca é mais importante e indigno q os demais. »

continua...

14 outubro 2005

Celebremos o cérebro

O Katrina continua deixando bilhões de neurônios ao relento.

Dia desses, nosso eflorescente doutor depositou as vistas num programa de tv da Rita Lee no exato momento em q sua desnêmesis Baby Consuelo colocou em palavras o seguinte pensamento:

"Nova Orleans era a terra do vudu, e o Senhor tinha q intervir."

QUÁQUÁQUÁQUÁQUÁquáaa....

Prêssionante.

A informação trivial de q acontecem furacões naquela região há pelo menos 100 mil anos (pra não humilhar demais) não deve ter vindo nas embalagens de Ping-Pong.

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

La Baby é uma das cantoras mais afinadas do Brasil. Mas ¡ô dó sustenido! ¡ô dó bemol! ¿que mais se poderia esperar da tv, qdo se confunde celebridade com cerebridade?

Agradecimentos a Cam Seslaf, de nosso depto. de pesquisas televisivas.

08 outubro 2005

P1a: preconceitos sem ibope [1/3]

Abaixo, um resumo da primeira parte da palestra do Dr Plausível sobre a preconceitada toda.

« Jendia, 'preconceito' é palavrão. E já faz um tempo. Os mais mencionados – o 'de gênero' e 'de raça' – ganham todo o ibope mas, por outro lado, abundam, florescem e medram sem peias ou freias o preconceito contra a feiúra e o contra a burrice – preconceitos estes muito mais insidiosos, daninhos e generalizados. Tá cheio de gente atacando o racismo e o sexismo, mas nada se diz sobre o burricismo ou o feiurismo, q são valorizados e tomados como prova de bom-senso. Nunca se vê gente bonita defendendo o direito de ser feio, ou gente inteligente se misturando com gente burra. Vem um e diz "beleza é fundamental" e recebe de gente burra louros de poeta. Vem outro e diz "não suporto gente burra" e todos a sua volta meneiam suas caras feias.

« Êta aporréia.

« Dir-se-ia q o maior motivo pra isso é q, bom, 99% da humanidade é burra ou feia, ou burra E feia. Mas ué? Preconceito contra minorias não pode, mas ¿contra maiorias pode? Porque desse quase ninguém se salva. HAHAHAHAHAHA

« Dizem q opinião é q nem cu: todo mundo tem um. Preconceito, então, é q nem peido: todo mundo todo dia solta vários em público mas ninguém admite. »

continua...

06 outubro 2005

Palestras do Dr Plausível

Mês passado, nosso esmeráldico Dr Plausível proferiu uma série de palestras no Hörshbarf Institut de Viena sobre assuntos polêmicos os mais variados. O doutor ia falando e o ambiente ia se iluminando no auditório onde – devido ao intenso calendário cultural desse instituto – suas palestras começavam às 5 da manhã e, por sua maviosa e revelante voz, os compreensíveis bocejos da seletíssima platéia iam gradualmente desaparecendo num confortável silêncio. Aqueles q ouviram tiveram uma bela chance de organizar e disciplinar suas cacholas.

Tentarei, durante as próximas semanas, transcrever e traduzir algumas das palestras mais relevantes, começando pelos seguintes assuntos:

• os preconceitos sem ibope
• o aborto e suas masturbações
• a onisciência divina e o livre-arbítrio humano
• armas ad nauseum et ad absurdum
• o marketing direto ao reto
• a direita, a esquerda e o nocaute da razão