08 junho 2005

Careful with that axe, Gregory

Muitos leitores têm me perguntado sobre o paradeiro de nosso estimado Dr Plausível. E aqui vai a resposta. Nos últimos meses, o elucubrável doutor esteve rodando o mundo cumprindo uma agenda de vários congressos, simpósios, conferências e feiras de Plausibilética Avançada, como faz a cada dois anos. Ao todo foram 47 eventos e 11 participantes, contando os 9 da produção. Um sucesso sem precedentes. Se depois dessas palestras as moscas continuarem a empestar tanta gente, será porque não prestaram a mínima atenção.

E foi só botar o pé de volta em São Paulo e tomar um táxi q mais um taxista iluminou seu dia com a risada fulgurosa de nosso embasbacante humanista. Pois ¿não é q o rádio estava ligado na Antena 1 e passou um anúncio de (¡pasmem todos!) CDs de sucessos populares em canto gregoriano.

¡¿?!¡?¡!¿?¡!¡¿!¡?¿¡?¡!¿¡?!¿

¿uadafâc?

¡E faz o maior sucesso!

Diz q um produtor inglês chamado Frank Peterson teve a idéia de botar um coro masculino cantando em únissono músicas dos Beatles, da Celine Dion, Pink Floyd e o baralho a buatro, botar uma banda acompanhando e pronto: canto gregoriano.

Qta má fé, não?

Porque se juntar uns boludos pra entoar umas melodias fáceis em uníssono configura canto gregoriano, então qqer bando de marmanjos cantando samba em bar da Freguesia do Ó se qualifica. O produtor inglês devia ter aprendido com seus compatriotas do Monty Python. No "Crunchy Frog Sketch", o inspetor Praline avisa o fabricante de bombons de sapo: "I must warn you that in future you should delete the words 'crunchy frog', and replace them with the legend 'crunchy raw unboned real dead frog', if you want to avoid prosecution." Esses CDs deviam ser vendidos como "Grupo de homens fantasiados de monges cantando em uníssono arranjos pasteurizados de sucessos comerciais, com acompanhamento".

E digo mais: o objetivo mais nobre q pode almejar um pastiche desse quilate é causar risadas fulgurosas no Dr Plausível. Pra isso bastava um CD só, não cinco.

Mas parece infindável, a variedade deste mundo...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

consulte o doutor