28 novembro 2004

Amanteigados, não!

Nosso estruturado Dr Plausível é realmente um cara pra lá de prafrentex. Ele não só é feminista (apesar de não-contumaz) mas também apóia todo e qqer capricho, desejo, mania ou legítimo anseio, contanto q protegido e vacinado contra o vírus da hipoplausibilose. Se vc quiser se sentar num formigueiro durante 3 horas sussurrando Manuel Bandeira e logo em seguida amputar vossa perna esquerda, fazer churrasco dela e oferecer o petisco à passarinho pros pobres, o doutor diz "Vá em frente. Só não venha me promover isso como cura prà sinusite." E olha q, dizendo assim, parece estapafúrdio, mas com certeza tem alguém no mundo q poderia ser convencido de q essa é realmente a cura prà sinusite. ¡¡HAHAHAHAHAHA!!

Agora vem a gueizada querer casamento gay. ¡¡HAQUAQUAQUAQUA!! A reação dos reacionários só podia ser a q foi e q é. E isso tudo é porque querem chamar alho de bugalho. É como (e já se disse isso várias vezes aqui) vc chamar margarina de manteiga só pra dizer q usa manteiga. Pois vejam só:

¿A união legalizada e regulamentada entre duas pessoas do mesmo sexo é um um conceito novo? É. ¿Está devidamente vacinado e protegido contra a hipoplausibilose? Está. Então pra que cacete (ops) ficar rechafurdando na mesma lama dum conceito antigo, estabelecido e até, digamos, rançoso? ¡Chama de outro nome!

E é pra q o pobrema seja resolvido o qto antes –e todos os gays e lésbicas possam ser felizes pra sempre numa união legalizada, regulamentada e plausível – q nosso eloqüente doutor oferece a todos, gratuitamente!, o belo, expressivo e plausível termo "parelhamento" pra substituir esse horrendo, inútil, polêmico e desgastado termo "casamento gay". É só chamar dum termo novo, é só aumentar o vocabulário do povaréu, q as coisas vão se ajeitando.

Assim, nos formulários do porvir, no ítem "estado civil", haverá mais duas opções: solteiro, estável, casado, parelhado, divorciado, desparelhado, viúvo.

Vejam q frases lindas de morrer:
-¿Vc quer se parelhar comigo?
-O q Deus parelhou, q ninguém desparelhe.
-Cara, esse é o teu terceiro parelhamento. ¿Qdo é q vai sossegar?
-¡Q parelha linda vcs fazem! ¡Feitos um pre outre!
-¡Mas essa biba não tem jeito mesmo, hem! ¡Só pensa em parelhamento!
-Nosso parelhamento já perdeu aquele encanto de antes.
-¡Não me parelho com essa fanchona mas nem morta!

E esse foi mais um serviço de vosso dedicado Dr Plausível.

10 comentários:

Paulo disse...

E pode ter certeza que se seguissem seu conselho as coisas seriam bem mais faceis!

Mas a disputa eh de status... e sabe como sao essas coisas...

[]s

PZumarán disse...

¡Se seguissem o conselho do *Dr Plausível*!

Eu também acho.

Mas a disputa é de status.

Falou e disse.

Eu adicionaria aqui o q adicionei aos comentários no LLL:

Sobre a possibilidade de heterossexuais do mesmo sexo utilizarem a legislação proposta pra obter vantagens legais, mas ¡¡QUE MEDÃO, HEM!!

Aos q temem tal desenrolar dos fatos, lembro q *a bigamia ainda é ilegal* e ninguém pode estar casado ou parelhado com mais de uma pessoa por vez. Lembro também q o casamento ou parelhamento é um contrato em q se entra facilmente, mas do qual não é tão fácil sair. Um não-casal hetero homo-genérico teria q ser muito besta pra entrar num contrato q os impediria de ter lá seu casamento normal.

Pracimademoá disse...

O que me deixa emputecido é que o único obstáculo contra o casamento gay é a porra da igreja católica. Ô, mania que essa raça tem de controlar a vida dos outros! Ô, religião dos infernos!

O estado deveria ser LAICO. O casamento gay só interessa a quem é gay, não causa inconveniente NENHUM a quem não é, portanto NÃO HÁ DESCULPA para se proibir. Se os católicos acham feio ou bonito, não deveria fazer NENHUMA diferença. Se a religião deles não aprova, isso é problema DELES. Se a igreja quiser excomungar os gays, é problema do gay decidir se continua sendo católico ou não. Mas meter o bedelho no Código Civil, a que estamos sujeitos TODOS, inclusive não católicos (como Moá), é um abuso sem tamanho. Estão obrigando todo mundo a ser católico, sem pedir licença, como nos velhos tempos.

Maldita seja essa instituição que ainda não se satisfez com a Santa Inquisição e prossegue em sua missão de trazer mais ignorância e sofrimento ao Planeta dos Macacos. Religião das trevas! Portadora e guardiã do obscurantismo medieval!

E não vamos esquecer que gay também paga imposto. Então, guerra de status ou não, eles têm direito de pleitear o que quiserem. A igreja que se foda!

Ser reles mortal e virar pó eu até tolero. O ruim mesmo é passar minha vida vendo a curta existência de tanta gente ser atravancada por essa máfia milenar, tão firmemente dedicada a tornar nossa existência mais miserável do que já é.

Pior que NEM ELES ganham nada com isso. Se eu acreditasse em folclore (como Deus, Diabo, Curupira e Mula Sem Cabeça), diria com toda convicção que religião é a maior, senão única, verdadeira obra do demônio.

PZumarán disse...

¡Cacilda, Demoá! Por um momento pensei q vc fosse um alter ego da minha esposa, q é atéia até a medula. Até o sarcasmo pseudo-contraditório de dizer q religião é coisa do demônio ela faz. Só q pra ela, o "fiel" católico é tbm o mais engraçado de todos: a Igreja Católica é a maior vilã, mas os católicos são inofensivos: "o q Roma diz entra por um ouvido e sai pelo outro."

Já o Dr Plausível, apesar de agnóstico, agradece a Deus por ter nascido numa região católica e não numa protestante, islãmica, judia ou hindu: só aqui pode gargalhar em paz.

smart shade of blue disse...

"religião é coisa do demônio" é uótemo.

Mas ô, "parelhamento" me lembra coisa de besta de carga, que anda em parelhas. Feinho, vá.

Que tal "conúbio legal" ????? :)

PZumarán disse...

Acho legal 'parelha' talvez porque 'casal' em castelhano seja 'pareja'.

Acho 'conúbio' perigoso. Logo viraria 'cunúbio', 'cunubiado', e daí pra 'cu nublado' seria um passo. :-|)

Neanderthal disse...

Bacana, mas imprausível.

O impecílio está no próprio texto. Já pensou quantos sistemas legados teriam que ser alterados ou customizados para permitir a nova alternativa legal de estado civíl?

Custaria bilhões....

Caçador de blogs patéticos. disse...

Algum de vocês é bicha? Então, seguindo seu próprio raciocínio: Não se metam, idiotas.

Pracimademoá disse...

Eu poderia mandá-lo enxugar gelo ou varrer a areia da praia, mas ser um "caçador de blogs patéticos" já equivale, né? Continue assim, hein!

dE férias disse...

Blá! Mr. Pracimademoa.
Os grupos sociais sempre irão defender seus interesses e ideiais.
É lógico que os gays irao querer o emparelhamento e a igreja será contra. (e nao somente a católica)
E assim segue essa disputa como tantas outras que já tivemos envolvendo tantos outros grupos sociais
===
A ideia de um novo termo é excelente. O povo nem nota.

Postar um comentário

consulte o doutor