26 janeiro 2004

São Papudo

Ontem fez aniversário um gordaço inchado careca espaçoso cascão sujo grosso feio mal-humorado cínico e peidorrento. Prestaram-lhe homenagem as traças q se fartam bebendo o suor viscoso q lhe escorre dos poros. Dá pra desconfiar, ¿não dá?

Quem se alimenta do suor de São Paulo vive dizendo q ama a cidade. O gozado é q esses são justamente os paulistanos q mais tempo passam fora dela: têm casas na praia, férias na Europa. Citando as virtudes de SPaulo, falam na verdade do primeiro mundo: ¿onde mais no Brasil pode-se passear por Picasso, almoçar uma trufa, ver um Truffaut, admirar um guerreiro de Xi'an, conversar com Ray Charles, ouvir Stravinsky, jantar um sushi, tudo da melhor qualidade, tudo no mesmo dia? Esse pessoal não gosta de SPaulo. Gosta é de achar q está em outro lugar.

No outro lado estão os q odeiam SPaulo porque são eles os q suam seu suor. Soltam o verbo reclamando da "exclusão" social, das desigualdades e o escambau a quatro desta cidade, como se ela tivesse q ser diferente do resto do Brasil. Ou pior, como se SPaulo devesse ser o carro-chefe, o modelo pro resto. ¡Tenha a santa! A turgidez desta cidade é a mais clara evidência de q o Brasil inteiro não tem se mostrado uma proposta viável. SPaulo cresce como um tumor absorvendo o povo q não se deu bem no resto do país, pessoas vindas de regiões de onde nunca teriam saído se de lá não houvessem sido excluídas em primeiro lugar. SPaulo é antes de mais nada o entumescimento dum tipo de inclusão social: aqui é onde vai parar o jovem sem perspectivas de Aracupirangonhó, aquele lugar onde não há exposições, restaurantes, hotéis, teatros, cinemas ou livrarias onde ele pudesse começar a vida como porteiro.

Então deixem de besteira ufanista ou idealista. Deve-se falar de SPaulo como os ingleses falam do tempo: está ruim, vai ficar pior e nada se pode fazer em contra, além de abandoná-la às traças.

Um comentário:

Roberto de Castro Morrone disse...

Adoro São Paulo. Não moraria nela, com certeza, mas não há maior Parque de Diversões para adúltos neste país. Ainda bem que moro(e sou nascido) no estado e a 170 kilômetros de Sampa. Só saio da minha cidade algumas vezes por anos e, sempre, o destino é Sampa di Pirá!!

Postar um comentário

consulte o doutor