14 agosto 2003

A garoa e a rocha

A política e o Dr Plausível são como a garoa e a rocha: a primeira de vez em qdo molha a segunda por fora e estamos conversados.

É nesse clima de indiferença mútua q o exaltado e enfático doutor analisa a propaganda política. Digam a verdade, mes enfants, ¿tem coisa mais implausível q as esperanças eleitorais da maioria dos candidatos a qqer cargo? Tem gente q não tem simancol nem na terceira vértebra à esquerda, ¿não? Analisemos um caso tomado aleatoriamente: Quércia. Eu poderia falar de qqer outro empostado e falastrão de segunda: o nome não importa muito; aliás, q eu saiba, o Quércia pode até ser o ser humano mais correto, hábil, empreendedor, justo, transparente, capaz, eficiente, iluminado, honesto, competente e esforçado em todo o universo e mais dez metros. Mas até mesmo o mais correto, hábil, &c ser humano do universo pode ser vítima de hipoplausibiloses plantadas em seu cérebro pelas turbas ensandecidas de puxa-sacos. Pois ¿que é q enfiaram na cabeça desse sujeito q lhe dá a impressão de q é só aparecer por aí falando os lugares-comuns de sempre e de repente consegue ser eleito? Alguém tem q chegar ao pé do ouvido dele e dos outros sem-chance e dizer bem baixinho pra não assustar, "Escuta meu, se manca. Vai cuidar de tua vida. Aqui vc está fazendo papel de papel de parede."

2 comentários:

Bisbilhoteira (no bom sentido..) disse...

Vc está no varalsp.blogger.com.br
Parabéns Dr.!!! Tudo dentro da mais pura plausibilidade....

Mongol disse...

Meu nome é Mongol!

Postar um comentário

consulte o doutor