03 julho 2003

Nunca diga besteira

¿Já notaram como a hipoplausibilose faz o paciente deturpar o significado das palavras até q elas não signifiquem absolutamente nada? O Dr Plausível chama esse sintoma de "efeito incrível". Um porcentagem alarmante de chamadas de filmes na rede Globo contêm a palavra 'incrível'. Agora a palavra aparece também em revistas, especialmente em manchetes de capa. Observem o disparate, por exemplo, duma chamada na capa do último número de 'Cláudia':

Nunca diga nunca: mulheres incríveis provam que você pode tudo.

¡Ó meus calos! ¿Não é ridiculamente óbvio q se as tais mulheres q provam q vc pode tudo são mesmo incríveis, segue-se q vc (uma mulher supostamente normal) não teria a menor condição de conseguir coisa alguma? Pois se as tais mulheres incríveis são realmente incríveis, ¿q chance tem vc, sua lesma?

Aliás, se o artigo da revista fala de mulheres q por seu esforço e capacidade conseguiram boa credibilidade ¡¿por que é q são chamadas de 'incríveis'?!

¡Ó feminismo às avessas! ¡Ó despiadada incredibilidade!

4 comentários:

da casa disse...

Fora que, se não se pode crer nelas, elas também não podem provar nada.
Tá, essa foi ruim.

Permafrost disse...

Admiro sua acuidade.

Belly disse...

Sejamos paradoxais! Creiamos no incrível e nunca digamos nunca!
Muito subliminar e maquiaveliquíssimo: vc pode ser incrível, desde que repita comigo 'nunca diga nunca'... oooops, lá se foi sua chance!

Cam Seslaf disse...

Eu ia dizer a mesma coisa que disseram em casa. Não foi ruim, portanto. Eu sou incrível. Hahahahaha!

Postar um comentário

consulte o doutor