31 julho 2003

A intenção apressada de fazer o errado

Um comentário sobre o texto anterior afirma q a "desinformação" na televisão brasileira é "propositalmente idealizada", ou seja, q existe uma curriola por trás das incontáveis implausibilidades q assolam as produções nacionais. Hmm. O Dr Plausível – q estuda o problema há décadas e não somente em relação à televisão – vê sim uma implausibilidade nesse argumento da intencionalidade. É como ver conspirações onde só existem agrupamentos. Uma emissora de televisão é uma organização por demais complexa pra q qqer intenção se transforme em erros de lógica hora após hora, dia após dia, por anos a fio. As implausibilidades televisivas demonstram antes de tudo inépcia ao lidar com dados e idéias, suas seqüências e suas interações – burrice mesmo. E tb não se sustenta o argumento de q muita besteira passa pq tudo é feito com pressa e pra ontem: a pressa prejudica o acabamento das obras mas não sua concepção. O relato sobre a filha raptada por exemplo, não saiu daquele jeito pq algum fodão na emissora quis desinformar, ou pq foi feito às pressas, ou pq em algum momento o produtor disse "ah, vai assim mesmo". A questão é mais embaixo: a pessoa q idealizou a trama e/ou escreveu o roteiro simplesmente não tem tutano pra perceber como as várias partes duma história têm q se encaixar.

Muita gente vê intenção nos erros alheios, como se vê um rosto nas nuvens, ou como qdo vc xinga a pedra em q tropeçou. Difícil é compreender o fato de q o mundo está abarrotado de gente burra e/ou preguiçosa; difícil é entender a burrice alheia.

8 comentários:

José Geraldo de Barros Martins disse...

Pablo :legal o seu blog ...
Agora tem um link do Doutor Plausível na seção EU RECOMENDO , no meu blog ...

Nianderthal disse...

Oh Glorioso Dr. Plausivel, Epictetus Teleinformatizado,
Acredite, se você quiser entender a razão por trás de tanta implausibilidade nos meios de comunicação tem que começar pela única lei que funciona nessa selva electromagnética: a lei do IBOPE. Só sobrevive quem tem público, ou seja, quem trás propagandolares à emissora. Logo, a única explicação plausível para esse mar de implausibilidade a complacência do telespectador (ou leitor etc.). É um verdadeiro círculo "me-engana-que-eu-gostiano". As pessoas realmente "perdoam" as falhas crassas do gagá. Para ter IBOPE não precisa ter lógica. Esse é o lema. A burrice não é só do produtor e sim de quem engole. Porque o produtor não está nem um pouco preocupado com a plausibilidade, ele segue a lógica do IBOPE - coisas muitas vezes conflitantes. Além de complacentes, as pessoas possuem pouco ou nenhum espirito crítico. É quase como se fosse um crime ser "crítico" ou "cri-cri". As pessoas sofrem da sindrome do "Maria vai com as outras", ou seja, querem acreditar que aquilo que "dizem" ser bom, que "dizem" estar fazendo sucesso, realmente seja o máximo. Apesar de nosso gosto pela complacência e falta de espirito crítico, o neoimplausibilismo não é um monopólio tupiniquim. Basta relembrar as "grandes produções" holywoodianas recentes para verificar o "vácuo de plausibilidade". E o mundo inteiro bate palmas. "Ganhou o Oscar,que maravilha!" É a verdadeira Ditadura Implausibilana.

Nianderthal disse...

Hoje saiu a seguinte manchete no UOL:
"Filme de J-Lo e Ben Affleck sofre derrota retumbante nos EUA"
http://www.uol.com.br/diversao/reuters/ult26u14281.shl

Laura disse...

Olá Dr. Plausível. Venho me consultar com freqüência aqui no seu blog. Enxergar as implausibilidades do mundo faz com que eu me sinta melhor. E além disso, seu blog fez com que eu tivesse uma participação incrível! na minha aula de física óptica: o professor perguntou exatamente o que seria o homem invisível!
Eu sabia responder graças à você. O relato do acontecimento (acompanhado de um link para o seu blog) está no meu blog www.laurie.blogger.com.br
Se quiser, passe lá para conferir.
Abraços
Laura.

Permafrost disse...

Obrigado, Laura. Deixei um comentário no seu blog. Depois fiquei pensando e agora acho q eu tb ouvi essa crítica ao Homem Invisível pela primeira vez numa aula de ótica. Gozado, ¿né?
Só por curiosidade: ¿como vc chegou a este blog?

Laura disse...

Olá...eu conheci o blog pelo MACACOS TE MORDAM (onde vc tah linkado)...gozado, deve ser uma informação exclusiva dos professores de óptica, o meu professor ficou meio surpreso pq eu sabia...mas de qquer forma, obrigada pelo comentário.

Belly disse...

o mais estranho é que a intenção apressada de fazer o errado pode fazer o agente chegar a um resultado certo.

Permafrost disse...

Belly, that's the very stuff implausibilities are made of...!

Postar um comentário

consulte o doutor